Biblioteca


        
 
Título
Categoria Tipo de publicação
Descrição Autores


TRAJETÓRIA E AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO FEDERAIS: OS PROJETOS POLÍTICO-PEDAGÓGICOS MEDIADOS PELA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO ICMBIO - Dissertação de Mestrado pela UFPR

RESUMO

As unidades de conservação (UC), apesar de instituídas no Brasil, apresentam fragilidade de gestão e conflitos com as comunidades e setores produtivos pela forma como são criadas e pelas disputas de interesse sobre o uso destes espaços. A educação ambiental (EA), neste contexto, surge como uma proposta de interlocução entre os atores envolvidos, buscando trabalhar os conflitos para diminuir as fronteiras entre a unidade e os habitantes de seu interior ou entorno. O presente trabalho tem como objetivo apresentar a trajetória e orientação teórica da educação ambiental no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e avaliar a contribuição dos Projetos Político-Pedagógicos mediados pela educação ambiental - PPPEAs para o fortalecimento da educação ambiental em UC federais. A pesquisa partiu de uma discussão sobre as UC enquanto instrumento para lidar com a crise ambiental, suas fragilidades e as relações com as comunidades, buscando estabelecer a relação entre conservação da biodiversidade e a educação ambiental no Brasil. Também foi abordado o histórico da educação ambiental enquanto política pública no Brasil, as influências das grandes conferências e documentos internacionais, e como se deu sua institucionalização e concepção teórica nos órgãos federais de meio ambiente. A avaliação dos PPPEAs abordou a etapa de elaboração de quatro documentos que foram publicados entre 2016 e 2018, pois por serem recentes, ainda não há dados sobre a implementação. A metodologia contou com a análise documental como procedimento técnico, além da revisão bibliográfica e desenvolvimento de um instrumento avaliativo a partir de duas ferramentas já existentes de avaliação, sendo uma do ICMBio, que tem foco nas ações educativas das UC e outra da Articulação Nacional de Políticas Públicas de Educação Ambiental - ANPPEA, com foco nas políticas públicas de EA. Para agregar elementos qualitativos à pesquisa, foram realizadas entrevistas com os especialistas no assunto, que participaram, como dirigentes e pesquisadores, da história da implementação da EA no Brasil. Como resultado, além do registro histórico da EA nas unidades de conservação federais e do instrumento de avaliação que poderá ser utilizado pela instituição na avaliação e monitoramento de outros PPPEAs, identificou-se que essa nova estratégia de gestão territorial tem elementos para o fortalecimento da educação ambiental nas UC como, promoção da participação social, identificação e organização de instituições e atores nas ações educativas e ampliação das ações para a região da unidade. Também apresenta limites que podem ser superados com a estruturação da EA no órgão gestor e com destinação adequada de recursos financeiros e pessoais para este trabalho. Palavras-chave:Unidades de Conservação. Educação Ambiental. Políticas Públicas.


ABSTRACT

Conservation units, despite being established in Brazil, have weak management and conflicts with communities and productive sectors due to the way they were created, and also, due to the disputes of interest for the use of these spaces. Environmental education (EE), in this context, emerges as a proposal for dialogue between the actors involved, seeking to work with the conflicts to reduce the boundaries between the unit and the inhabitants of its interior or surroundings. The present project aims to present the trajectory and theoretical orientation of environmental education at the Chico Mendes Institute for Biodiversity Conservation (ICMBio) and to evaluate the contribution of Political-pedagogical Projects mediated by environmental education - PPPEEs, to the strengthening of environmental education in federal conservation units. The research started from a discussion over the conservation units as an instrument to deal with the environmental crisis, its weaknesses and relations with the communities, aiming to establish the relationship between the conservation of biodiversity and environmental education in Brazil. The history of environmental education was also discussed as a public policy in Brazil, the influences of major international conferences and documents, and how its institutionalization and theoretical conception took place in federal environmental agencies. The evaluation of PPPEEs addressed the stage of preparation of four documents that were published between 2016 and 2018, and for being recent, there is still no data on the implementation. The methodology relied on documentary analysis as a technical procedure, in addition to the bibliographic review and development of an assessment tool based on two existing assessment tools, one from ICMBio, which focuses on the educational actions of the conservation units and the other from the National Articulation of Public Policies for Environmental Education - NAPPEE, focusing on public policies for the EE. To add qualitative elements to the research, interviews were carried out with specialists on the subject, who participated, as directors and researchers, in the history of the implementation of the EE in Brazil. As a result, in addition to the historical record of the EE in federal conservation units and the assessment instrument that can be used by the institution in the assessment and monitoring of other PPPEEs, it was recognized that this new territorial management strategy has elements for strengthening education environmental protection in conservation units, promotion of social participation, identification, and organization of institutions and actors in educational activities and expansion of actions for the region of the unit. It also presents limits that can be overcome with the structuring of the EE in the managing board and with adequate allocation of financial and personal resources for this project. Keywords: Conservation Units. Environmental education. Public policies

Ano de Publicação: 2020

DEVANEIOS DA FOGUEIRA: Os saberes populares associados ao fogo atiçam diálogos de Educação Ambiental sobre incêndios florestais, crise climática e Bem Viver - Dissertação de Mestrado pela UFMT

RESUMO

A Rede Internacional de Pesquisadores em Justiça Climática e Educação Ambiental (REAJA) estuda como a crise climática afeta o planeta como um todo, sendo mais fortemente sentida em grupos sociais em situação de vulnerabilidade. No Brasil, os incêndios florestais são um dos fatores que contribuem para a emissão de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera, acelerando o colapso climático. A política do “Fogo Zero” adotada pelo governo brasileiro é uma das responsáveis pelo aumento dos incêndios florestais no Cerrado, pois não leva em consideração que o bioma é dependente do fogo, ou seja, onde este elemento não é considerado um distúrbio, mas fator imprescindível para a preservação de seus processos ecológicos. A exclusão do fogo no Cerrado acarreta acúmulo de matéria orgânica em extensas áreas e facilita a propagação de incêndios de grandes proporções nas épocas secas, que atingem indiscriminadamente áreas protegidas e privadas com enormes perdas de biodiversidade, impactos socioeconômicos e emissão de GEE. Diversos estudos apontam que populações tradicionais do Cerrado utilizam o fogo sem prejudicar a natureza, pois dela dependem. Para identificar práticas, técnicas, valores e culturas do fogo, o Grupo Pesquisador em Educação Ambiental, Comunicação e Arte (GPEA) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), membro da REAJA, realizou o mapeamento dos saberes populares associados ao fogo nas comunidades rurais de São Jerônimo (Cuiabá/MT) e Água Fria (Chapada dos Guimarães/MT), localizadas no entorno do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães (PNCG). A metodologia do Mapa Social foi escolhida para dar visibilidade a estes saberes, em desuso pelas comunidades por temerem sanções governamentais. Conhecer tais saberes é fator imprescindível para a implementação de ações de Manejo Integrado do Fogo (MIF) no PNCG. Como resultado, são apresentadas nesta dissertação de Mestrado em Educação as relações entre as práticas cotidianas e os saberes tradicionais de uso do fogo com os ciclos da natureza, como o fogo cria e fortalece vínculos comunitários e como participa da conservação ambiental. Os diálogos presentes nas atividades do Mapa Social permeados por assuntos relacionados ao fogo estimulam a dialogicidade, revelam valores, crenças, ética e olhar político inerentes à educação ambiental gpeana. Através da escuta sensível durante oficinas e reuniões coletivas de mapeamento e entrevistas com anciãs e anciãos das comunidades são identificadas as impressões dos participantes sobre a relação entre incêndios florestais, a crise climática e seu Bem Viver. Os relatos são interpretados à luz da Fenomenologia de Gaston Bachelard e revelam as dualidades imbricadas do fogo: bom e ruim. A elaboração conjunta do Mapa Social dos saberes populares associados ao fogo escrutina necessidades e problemas ambientais latentes. A luz que emerge dos diálogos e das vivências coletivas reflete as realidades vividas pelos participantes da pesquisa e deslinda possibilidades de políticas públicas que podem ser aplicadas para além das fronteiras do PNCG. Esta Simbiose de Saberes contribui para a diminuição dos incêndios florestais, fortalece as comunidades e ajuda a descriminalizar o uso tradicional do fogo no Cerrado mato-grossense. Palavras-chave: Educação Ambiental. Mapa Social. Incêndios florestais. Crise Climática. Bem Viver.

Ano de Publicação: 2020

PORTARIA No 222, DE 23 DE AGOSTO DE 2013 Instituir a Política de Segurança da Informação e Comunicações - POSIC no âmbito do ICMBio. (Processo nº 02070.000752/2013-03)

CAPÍTULO I

DO ESCOPO

Art. 1º Instituir a Política de Segurança da Informação e Comunicações - POSIC que tem por escopo a 

instituição de diretrizes estratégicas visando assegurar a integridade de dados, informações e documentos do ICMBio, contra ameaças e vulnerabilidades, de modo a preservar os seus ativos, inclusive 

sua imagem institucional.

Art. 2º A POSIC trata do uso e compartilhamento do conteúdo de dados, informações e documentos 

no âmbito do ICMBio, em todo o seu ciclo de duração - criação, manuseio, divulgação, armazenamento, transporte e descarte - visando a continuidade de seus processos vitais, em conformidade com a 

legislação vigente, normas pertinentes, requisitos regulamentares e contratuais, valores éticos e as 

melhores práticas de segurança da informação e comunicações.

Art. 3º Esta POSIC se aplica às unidades da estrutura regimental do ICMBio.


Ano de Publicação: 2013

DICIONÁRIO DE COMPETÊNCIAS DO INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Mensagem ao Servidor

A Gestão por Competências é uma poderosa ferramenta de gestão que permite gerenciar as Lacunas de Competências da organização. Ela serve de subsídio para modernização das demais políticas e práticas de gestão de pessoas, visando potencializar a força de trabalho para o alcance dos objetivos estratégicos institucionais. No ano de 2018 o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio deu início a implantação do Programa de Gestão por Competências. O primeiro projeto a ser executado foi o Mapeamento das Competências, realizado em parceria com a Universidade Federal do Pará - UFPA.  No âmbito do ICMBio, a Gestão por Competências será utilizada para qualificar a capacitação – no sentido de maximizar o uso dos recursos em treinamento e desenvolvimento – e para modernizar as políticas de mobilidade, recrutamento e seleção. As Lacunas de Competências serão utilizadas para elaborar o Plano Anual de Capacitação – PAC, para a construção de Trilhas de Aprendizagem e para análise das solicitações para participação em eventos de capacitação. 

A mobilidade por competências visará alocar os servidores certos nos lugares certos, melhorando as políticas para remoção, por exemplo. O recrutamento e seleção por competências incluirá tanto a modalidade interna, com critérios e perfil profissional para ocupação dos cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores – DAS e Funções Comissionadas do Poder Executivo – FCPE, como a externa – concurso público focado em perfis profissionais 

O objetivo desse guia é orientar os servidores e gestores sobre os principais conceitos e novas diretrizes institucionais relacionadas a Gestão por Competências.

Thais Ferraresi Pereira

Coordenadora-Geral de Gestão de Pessoas

Ano de Publicação: 2019

Avaliação e monitoramento de políticas públicas de educação ambiental no Brasil: transição para sociedades sustentáveis [recurso eletrônico] - ANPPEA

Revisão: Tereza Moreira Diagramação: Ana Paula Zaguetto Esta publicação é fruto do processo participativo de construção da Plataforma Brasileira de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas de Educação Ambiental para Sociedades Sustentáveis, realizado pela Secretaria Executiva da Articulação Nacional de Políticas Públicas de Educação Ambiental (ANPPEA) que é composta pelo Laboratório de Educação e Política Ambiental – Oca da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (ESALQ/USP); Laboratório de Análises e Desenvolvimento de Indicadores de Sustentabilidade do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (LADIS/CCST/INPE) e Fundo Brasileiro de Educação Ambiental (FunBEA).

Palavras-chave: 1. Avaliação ambiental 2. Educação ambiental - Brasil 3. Indicadores ambientais 4. Monitoramento ambiental 5. Políticas públicas 6. Sociedades sustentávei

Ano de Publicação: 2019

Pato Mergulhão - Embaixador das Águas Brasileiras - paper toy - dobradura

O pato-mergulhão (Mergus octosetaceus) é uma ave que mergulha para capturar a sua comida. Por isso ele precisa de águas bem limpinhas e transparentes para sobreviver. O problema é que a poluição e tantas mudanças nos rios causadas pelos humanos quase fizeram esse bichinho desaparecer! Hoje só restam menos de 250. O Instituto Chico Mendes e seus parceiros têm trabalhado muito, sempre com a esperança que o pato-mergulhão possa habitar as nossas águas outra vez. Todos devemos cuidar de nossas águas para ajudar o pato-mergulhão!

Ano de Publicação:

Colorindo o aprender Cerrado

CBC

O Centro Nacional de Avaliação da Biodiversidade e de Pesquisa e Conservação do Cerrado CBC foi criado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade com o objetivo de coordenar a avaliação do risco de extinção da biodiversidade e de produzir conhecimento científico para apoiar ações de conservação da biodiversidade do bioma Cerrado. Este bioma é um dos mais biodiversos e um dos que mais sofrem com a conversão de habitat e outras pressões humanas. Ele abriga diversas espécies da flora e da fauna ameaçadas de extinção.

Onde estamos

Parque Nacional de Brasília


Ano de Publicação: 2018

Acampando com crianças - Acampar é viver uma aventura, tendo apenas a natureza e uns aos outros.

Acampar para que?

A natureza tem o poder de tornar as crianças mais saudáveis e mais felizes. Durante décadas, meninos e meninas tiveram tempo, espaço e liberdade para subir em árvores, andar de bicicleta na vizinhança e desaparecer por uma tarde inteira explorando os limites do bairro e da cidade. Mas, ao longo das últimas gerações, a infância mudou para dentro de espaços fechados e controlados, fazendo com que muitas crianças cresçam acreditando que lá fora não acontece nada interessante e que toda a diversão está dentro de casa e nas telas de seus dispositivos.

Essa tendência mundial tem implicações profundas no desenvolvimento das crianças - e no futuro do nosso planeta, afinal se você cresce sem interesse e amor pelo mundo natural, o que vai te mobilizar a tentar conservá- lo no futuro? Estudos recentes apontam que o contato diário com a natureza, especialmente por meio do livre brincar, ajudam na promoção da saúde física, mental e no desenvolvimento de habilidades cognitivas, sociais, motoras e emocionais das crianças. Por isso, precisamos pensar com urgência em caminhos de desemparedamento da infância para que meninos e meninas possam crescer saudáveis e desenvolver um vínculo afetivo com o mundo natural.

Não há uma fórmula para isso, mas uma coisa é fato: precisa envolver todo mundo - responsáveis, educadores, escolas, cidades, poder público.


Esse guia tem como objetivo incentivar mais pessoas a experimentarem uma maneira pouco frequente de incluir natureza na vida das crianças no Brasil: acampar em áreas naturais protegidas. Acreditamos que acampar é uma vivência tão especial e intensa que é como se vivêssemos dois meses em dois dias. Muita coisa acontece conosco: aprendemos a reconhecer nossas possibilidades e limites, exercitando nossa autonomia e lidando com riscos.

Ano de Publicação: 2019

DA FORMAÇÃO DA CAVERNA À FORMAÇÃO DO EDUCADOR THE FORMATION OF THE CAVE TO THE TEACHER EDUCATION

Resumo

Utilizando assuntos tão pouco explorados em sala de aula, a espeleologia serviu como temática principal para esta pesquisa, contribuindo para uma reflexão mais ampla acerca da formação de educadores. O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância de uma formação acadêmica que possibilite o professor valorizar as vivências de seus alunos para a aprendizagem de conceitos formadores, e não só científicos, bem como levantar dados específicos sobre concepções alternativas sobre os assuntos de espeleologia. Para tal, fez-se um levantamento bibliográfico de livros didáticos e também das concepções alternativas sobre o assunto, com estudantes de duas escolas estaduais de Belo Horizonte, MG e de licenciandos em Ciências Biológicas da UFMG. Através de um questionário, os estudantes caracterizaram uma caverna dentro de suas concepções pessoais. Todas as respostas foram, posteriormente, analisadas. Observou-se que a grande maioria dos estudantes utilizou o senso comum e o imaginário para resolver as questões propostas ou representar uma caverna. Já os universitários ignoraram tais estratégias, apoiando-se exclusivamente no conhecimento científico, muitas vezes errôneo.

Palavras-chave: Cavernas, Ensino de Ciências, Formação de educadores, Concepções alternativas, Imaginário.

Abstract

Speleology and speleobiology are subjects poorly explored in classrooms. These themes served as objectives for our research, providing a focus for the educator formation. The objective of this work is to demonstrate the importance of a good formation, alerting the teachers that the experience of the students for learning formative concepts is very important, sometimes more important than the scientific knowledge. For that purpose, we made a bibliographical survey of didactic books and a survey of alternative conceptions with students of two state schools and from the Biology course of the UFMG. Through a questionnaire, the students have characterized a cave with its particularities. All the responsehad been analyzed. It was observed that the majority of the students used their common sense and imaginary to answer the questions or represent a cave. However, the biology students had ignored such strategies, supporting themselves exclusively in the scientific knowledge, many times erroneous.

Keywords: Caves, Science education, Teachers formation, Alternative conceptions, Imaginary

Ano de Publicação: 2014

A comunicação efetiva/afetiva como ferramenta para formação de uma equipe colaborativa no Núcleo de Gestão Integrada ICMBio Brasília-Contagem. - TCC do curso PGR5

RESUMO

Este trabalho apresenta os resultados de uma atuação prática de facilitação interna para o desenvolvimento de um Plano Estratégico de Comunicação Efetiva/Afetiva a ser implementado no Núcleo de Gestão Integrada (NGI) ICMBio Brasília-Contagem para contribuir na formação de uma equipe colaborativa que gere resultados para a conservação da biodiversidade no Cerrado e agregue valores socioambientais para a sociedade. Foi realizado o Diagnóstico da Comunicação Interna do NGI ICMBio Brasília Contagem; planejado e executado a primeira fase do Planejamento Estratégico de Comunicação Interna; estabelecida metodologia para reunião no NGI e registradas as reflees sobre o papel do líder na efetividade/afetividade da Comunicação Interna e exercício da Liderança Relacional

Ano de Publicação: 2018