Biblioteca


        
 
file:
title:
category:
description:
publication:
Nome do autor:
Sobrenome do autor:

Revisão taxonômica e análise filogenética de Scopogonalia Young, 1977 com a descrição de uma espécie nova do grupo externo (Insecta: Hemiptera: Cicadellidae)

O gênero Scopogonalia Young pertence à família Cicadellidae, subfamília Cicadellinae e tribo Cicadellini e contém 11 espécies, todas registradas na América do Sul: S. subolivacea (Stål) (espécie-tipo), S. interruptula (Osborn), S. echinura Young, S. golbachi Young, S. nargena Young, S. oglobini Young, S. paula Young, S. penicula Young, S. altmanni Cavichioli, S. plaumanni Cavichioli e S. splendida Cavichioli. Neste trabalho, Scopogonalia e duas de suas espécies são redescritas, bem como são descritas seis espécies novas, sendo cinco a partir de espécimes do Brasil e uma da Argentina. Também é feita uma análise filogenética do gênero, para testar seu monofiletismo e elaborar uma hipótese de relacionamento filogenético entre elas. Como táxons terminais da análise filogenética estão as espécies de Scopogonalia e mais seis espécies no grupo externo: Tretogonia cribrata Melichar, Cyclogonia caeligutata Mejdalani & Nessimian, Rotigonalia larissae Cavichioli, Rotigonalia olivacea Cavichioli, Plerogonalia rudicula (Jacobi), e uma espécie nova de Rotigonalia Young que também é descrita. Uma chave taxonômica de Scopogonalia e outra de Rotigonalia foram elaboradas. Foram usados 59 caracteres morfológicos e de padrão de cor identificados com base em critérios topográficos, dentre os quais os multiestado foram codificados como não-ordenados e os autapomórficos não-informativos foram incluídos. A análise de parcimônia máxima foi conduzida no programa TNT, resultando em 8 árvores mais parcimoniosas, com comprimento = 137, índice de consistência (IC) = 0,47 (excluindo caracteres não-informativos) e índice de retenção (RI) = 0,72. Em todas, Scopogonalia é monofilético, porém com baixo suporte, tendo como sinapomorfias não-ambíguas a reversão do clípeo inflado para não-inflado, primeira condição presente em Rotigonalia e Plerogonalia, e a abertura da base das células anteapicais mediana e interna das asas anteriores. Uma análise com pesagem implicada chegou a três árvores, todas incluídas entre as originais, cujo consenso estrito mostra pouco conflito. Um dos clados suporta uma ligação pretérita entre a área núcleo do bioma Cerrado e enclaves de savana nos biomas Amazônia e Mata Atlântica. Outro sustenta uma relação proposta entre os blocos central e sul de áreas de endemismo da Mata Atlântica.

Plavras-chave: Auchenorrhyncha, filogenia, taxonomia, morfologia, Região Neotropical

Ano de Publicação: 2014

Biodiversidade de Sphingidae (Lepidoptera) nos biomas brasileiros, padrões de atividade temporal diária e áreas prioritárias para conservação de Sphingidae e Saturniidae no Cerrado

A perda da diversidade biológica tem ocorrido num ritmo muito superior às taxas basais de extinção de espécies em função da conversão, fragmentação e degradação de habitats ocasionados pelo crescimento, ocupação e modo de vida de grande parte das populações humanas. Mariposas representam aproximadamente 12% de toda a fauna terrestre vivente. As família Sphingidae e Saturniidae são importantes indicadores da qualidade ambiental e respondem rapidamente às alterações no habitat. O conhecimento da composição, riqueza, abundância e distribuição e padrões de atividades desses lepidópteros nos biomas brasileiros ainda é restrito. Este estudo buscou elaborar um panorama da biodiversidade e distribuição de Sphingidae e Saturniidae nos biomas brasileiros, caracterizar padrões de atividades diária de  Sphingidae e Saturniidae no Cerrado e identificar áreas prioritárias para conservação dessas famílias nesse Bioma. Análises de registros de ocorrência levantados de dados secundários e de levantamentos populacionais realizados nos Parques Nacionais Chapada dos Veadeiros e Diamantina e em Rio Pardo de Minas - MG revelaram que: a Mata Atlântica e a Amazônia são os biomas com maior riqueza e número de espécies endêmicas de (...)

Palavras-Chave: áreas prioritárias para conservação, atividade temporal, biodiversidade, biomas brasileiros, Cerrado, conservação,  Sphingidae, Saturniidae.

Ano de Publicação: 2017