Gestão Socioambiental

VOCÊ JÁ PAROU PARA PENSAR SOBRE A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO SOCIOAMBIENTAL? Ou O QUE É A EDUCAÇÃO AMBIENTAL?

A Gestão Socioambiental constitui-se como área de interface entre as diferentes linhas de ação do ICMBio, contribuindo para a elaboração, implementação, avaliação e revisão de instrumentos de gestão pública da biodiversidade. Visa promover a conservação e o desenvolvimento socioambiental por meio do envolvimento da sociedade na gestão das unidades de conservação federais e dos centros nacionais de pesquisa e conservação. Sua atuação é pautada pela valorização da participação social; pelo diálogo interinstitucional; e pelo desenvolvimento de estratégias integradas de gestão territorial e da biodiversidade.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O que é Educação Ambiental?

A educação ambiental é uma das finalidades do ICMBio e tem como objetivo fortalecer as ações institucionais que promovam  a participação social qualificada na gestão e a promoção da conservação da biodiversidade e do desenvolvimento socioambiental. Tendo como diretrizes a Política Nacional de Educação Ambiental - PNEA - Lei 9.795/99 e a Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental – ENCEA (estabelecida pela Recomendação CONAMA nº 14, de 26/04/2014). 

O foco político-pedagógico da educação ambiental do Instituto está no fortalecimento de políticas públicas e ações institucionais que promovam:

  • Os instrumentos de gestão e conservação da biodiversidade;
  • A participação efetiva na gestão pública da biodiversidade dos grupos sociais em situação de vulnerabilidade ambiental;
  • Os espaços democráticos de participação na gestão pública da biodiversidade.

A educação ambiental implementada pelo ICMBio precisa promover e executar processos educativos voltados ao desenvolvimento de capacidades de intervenção cidadã qualificada nos processos de gestão dos bens ambientais públicos.

E são princípios da Educação Ambiental:

  1. O diálogo entre saberes e fazeres;
  2. O reconhecimento de diferentes territorialidades e identidades;
  3. A valorização da cultura e da organização social dos grupos sociais que são sujeitos das ações educativas;
  4. O reconhecimento da  autonomia e alteridade do educando, buscando fortalecê-las.

A concepção é a da Educação Ambiental Crítica e Emancipatória no processo de gestão ambiental que tem como fundamentos teóricos-metodológicos:

  • A Educação entendida como elemento de transformação social através da emancipação dos sujeitos e da compreensão crítica da realidade;
  • A Educação Ambiental tendo como principal objetivo promover a transformação das relações socioambientais atualmente estabelecidas, na busca por uma sociedade socialmente mais justa e ambientalmente equilibrada, fundada nos princípios de liberdade, igualdade, solidariedade, democracia, justiça social, responsabilidade e sustentabilidade.
  • A Educação na Gestão Ambiental Pública garantindo condições efetivas de intervenção nos processos decisórios sobre os recursos naturais enquanto bens comuns, dos diferentes agentes sociais, prioritariamente os que se encontram na condição de expropriados e oprimidos, diminuindo as assimetrias características do modelo social vigente.


Cursos (em Breve)

Estamos desenvolvendo diversos cursos virtuais sobre Educação Ambiental em parceria com o Ministério do Meio Ambiente e outros parceiros. Logo disponibilizaremos este cursos para vocês. Aguardem!

Publicações

Biblioteca

Site Educação Ambiental do ICMBio

Canal EducaChico


GESTÃO PARTICIPATIVA

O que é uma Gestão Participativa?

O objetivo da Gestão Participativa é fomentar espaços e instrumentos para o envolvimento qualificado da sociedade civil nos processos de tomada de decisão na gestão das Unidades de Conservação Federais e na conservação da biodiversidade. Sendo a gestão participativa uma das estratégias institucionais para a implementação da Gestão Socioambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Entre suas atividades podemos destacar:

    • Normatização, formação, reestruturação e funcionamento dos Conselhos Gestores  de Unidades de Conservação;
    • Proposição de estratégias para a gestão participativa nos Centros de Pesquisa e Conservação e Coordenações Regionais do Instituto Chico Mendes;
    • Diretrizes para gestão participativa nas atividades que perpassam processos de criação, recategorização de UC, elaboração e implementação Planos de Manejo;
    • Formulação e implementação de instrumentos de avaliação e monitoramento da gestão participativa;
    • Envolvimento da sociedade por meio do Programa de Voluntariado.


Cursos (em Breve)

Estamos desenvolvendo diversos cursos virtuais sobre Gestão Participativa. Logo disponibilizaremos este cursos para vocês. Aguardem!

Publicações

Biblioteca

Guia para Gestores e Conselhos


GESTÃO DE CONFLITOS

Conflitos territoriais são consequência de divergências de interesses e de necessidades que surgem com a criação e a gestão de unidades de conservação, de qualquer grupo e categoria. A partir de uma gestão qualificada sobre as formas de conflitos existentes, são estabelecidas estratégias de interação, presenciais ou não, para se gerar um diálogo adequado com as partes interessadas, de modo que se possa reduzir a polarização e ampliar as possibilidades de construção de soluções, minimizando o impacto ou pressão ambiental sobre as UCs, com justiça social.

Publicações

Biblioteca


Última atualização: sexta, 8 Set 2017, 13:45