Biblioteca

EFEITO DO FOGO NA DINÂMICA DA VEGETAÇÃO ARBÓREA DE FLORESTA MANEJADA E NÃO MANEJADA NA FLONA DO TAPAJÓS, PARÁ, BRASIL - Tese Doutorado pela UFOPA

Descrição

RESUMO

Entre os distúrbios de origem antrópica que ocorrem nas florestas tropicais, o fogo e seus impactos a longo prazo ainda são pouco conhecidos, especialmente quando há interações com a extração seletiva de madeira. Com o monitoramento de parcelas permanentes, é possível descrever a trajetória de recuperação e entender os mecanismos de resiliência da floresta, após a ocorrência de incêndios. O objetivo deste estudo foi responder à seguinte pergunta: como o fogo afeta a trajetória de recuperação de uma floresta madura, submetida a extração seletiva de madeira, na Amazônia brasileira? Para abordar essa questão, utilizou-se um conjunto de 60 parcelas de 0,25 ha (50 m x 50 m; 12 hectares de amostra) instaladas na Floresta Nacional do Tapajós em 180 hectares de uma floresta madura de terra firme com histórico de manejo florestal (1982), e fogo (1997), monitorada através de medições frequentes de árvores com DAP ≥ 5 cm, de 1981 a 2012 (31 anos). Para determinar os efeitos dos distúrbios, a área basal, as taxas de mortalidade, as taxas de recrutamento e a diversidade de espécies foram comparadas através da Análise de Variância (ANOVA) de medidas repetidas e Modelos Lineares de Efeito Misto (LMM). Os resultados evidenciam que, na Amazônia brasileira, a floresta ombrófila densa, no tempo de 15 anos após o incêndio, é capaz de estabilizar suas taxas de mortalidade e a estrutura da floresta permanece semelhante às suas condições originais, principalmente, porque a mortalidade se concentra nas primeiras classes de diâmetro (DAP < 20 cm), embora ainda sejam registradas altas taxas de recrutamento e a forte presença de espécies arbóreas pioneiras. Nas florestas manejadas afetadas pelo fogo, a intensidade e frequência dos distúrbios anteriores são fatores determinantes na dinâmica da vegetação arbórea e, portanto, a resiliência da floresta está diretamente associada às condições anteriores de estrutura da floresta (área basal e presença de grandes árvores). A combinação de exploração de impacto reduzido, redução da área basal de espécies não comerciais e pequenos incêndios, não causa perdas na diversidade de espécies, embora o desbaste de alta intensidade de espécies não comerciais altere a composição das espécies. Em síntese, florestas sem histórico de distúrbios frequentes são mais resistentes e resilientes ao fogo. Palavras-chave: Diversidade de espécies. Taxa de recrutamento. Taxa de mortalidade. Tratamento silvicultural. Floresta tropical.

ABSTRACT

Among the disturbances of anthropic origin that occur in tropical forests, fire and its long-term impacts are still poorly known, especially when there are interactions with selective logging. With the monitoring of permanent plots, it is possible to describe the recovery trajectory and better understand the resilience mechanisms of the forest after the occurrence of fires. The objective of my thesis was to answer the following question: how does fire affect the recovery trajectory of a mature forest subjected to selective logging in the Brazilian Amazon? To tackle this question, it was used a set of 60 plots of 0.25 ha (50 m x 50 m; 12 sample hectares) installed in the Tapajós National Forest on 180 hectares of a mature terra firme forest with a history of forest management (1982) and fire (1997), monitored through frequent measurements of trees with DBH ≥ 5 cm, from 1981 to 2012 (31 years). To determine the disturbance effects, basal area, mortality rates, recruitment rates, and species diversity, were compared through Repeated Measures Variance Analysis (ANOVA) and Linear Mixed Effect Models (MLM). The results show that in the Brazilian Amazon, in the time of 15 years after the fire, Dense Ombrophilous Forest, is able to stabilize its mortality rates and forest structure remains similar to its original conditions, mostly due to mortality is concentrated among small trees (DBH < 20 cm), although there are still high recruitment rates and the strong presence of pioneer tree species. In managed forests affected by fire, logging intensity is a determining factor in the dynamics of tree vegetation, and therefore the resilience of the forest is directly associated with previous conditions of forest structure (basal area and presence of large trees). The combination of reduced impact logging, reduction of basal area of non-commercial species, and small fires did not cause losses in species diversity, although heavy thinning alters the species composition. In short, forests with no history of frequent disturbances are more fire resistant and resilient. Keywords: Species diversity. Recruitment rate. Mortality rate. Silvicultural treatment. Tropical forest

Categoria
PESQUISA AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DA BIODIVERSIDADE
Tipo de publicação
Trabalho acadêmico (TCCs, dissertações, teses e trabalhos científicos apresentados em congressos e cursos)
Autores

DÁRLISON FERNANDES CARVALHO DE ANDRADE

Local da publicação
Santarém - PA
Nº da edição ou volume
Ano de Publicação
2020
Editora
UFOPA - Universidade Federal do Oeste do Pará