Biblioteca


        
 
Título
Categoria Tipo de publicação
Descrição Autores


IMPACTOS DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS SOBRE OS RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GOIANA-PERNAMBUCO - Dissertação de Mestrado na UFPE

RESUMO

A presente pesquisa teve como objetivo geral avaliar e simular os impactos das mudanças climáticas sobre os recursos hídricos superficiais da bacia hidrográfica do rio Goiana, localizada na Zona da Mata Norte do estado de Pernambuco. Inicialmente, foram diagnosticados os possíveis efeitos das mudanças climáticas sobre a precipitação pluviométrica. Para isso, aplicou-se o Índice de Anomalia de Chuva (IAC) mensal, o desvio percentual pluviométrico anual e análise de tendência para os meses do período seco e chuvoso, assim como, para os anos de episódios de El Niño e La Niña. Em seguida, projetou-se sobre a bacia hidrográfica a temperatura média mensal do ar correspondente aos cenários de mudanças climáticas (B2 e A2) gerada pelo modelo climático regional PRECIS. A partir daí, projetou-se os efeitos deste elemento climático sobre o escoamento superficial para os próximos 60 anos utilizando-se de técnicas de geoprocessamento e do desenvolvimento de um modelo de balanço hídrico mensal semi-distribuido de três parâmetros. Os resultados indicam que não houve alterações consideradas na precipitação pluviométrica para ligá-la aos possíveis efeitos das mudanças climáticas globais. Já em relação às projeções das temperaturas, embutidas nos cenários de mudanças climáticas, estas proporcionam uma redução no escoamento superficial da bacia hidrográfica com o passar de cada ano, principalmente nos meses do período seco. Esses problemas poderão proporcionar sérias modificaçõena organização socioespacial dos municípios inseridos na bacia hidrográfica do rio Goiana.

Palavras-chave: cenários de mudanças climáticas; escoamento superficial e organização socioespacial.


ABSTRACT

To present research had as general objective to evaluate and to simulate the impacts of the climatic changes on the resources water of the watershed of the river Goiana located in the Zone of the Mata Norte of the state of Pernambuco. Initially the possible effects of the climatic changes were diagnosed on the rainfall. For this we applied the Rain Anomaly Index (RAI) monthly, the percentage deviation and annual rainfall tendency analysis for the months of the dry and rainy periods, and for the years of El Niño and La Niña. Soon after was projected on the watershed the monthly average temperature of the air corresponding to the scenarios of climatic change(B2 and A2) generated by the regional climatic model PRECIS. Starting from therewas projected the effects of this climatic element on the runoff for next 60 years being used GIS techniques and of the development of a model of semi-distributemonthly water balance of three parameters. The results indicate that there were not alterations considered in the rainfall to tie it to the possible effects of the global climatic changes. Already in relation to the projections of the temperatures, embedded in the scenarios of climatic changes these provide a reduction in the runoff of the watershed with passing of every year principally in the months of the dry period. Those problems can to proportion serious modifications in the organization sociospatial of the municipal inserted in the watershed of the river Goiana. 

Keywords: scenarios of climatic changes, runoff and sociospatial organization

Ano de Publicação: 2010

Mudanças climáticas e o escoamento superficial na bacia hidrográfica do rio Goiana - Pernambuco - Brasil

Resumo. 

O objetivo deste estudo é projetar e analisar o comportamento do escoamento superficial na bacia hidrográfica do rio Goiana frente aos cenários de mudanças climáticas B2 e A2. As simulações foram desenvolvidas através do modelo hidrológico semi-distribuído simples de dois parâmetros etemperatura média mensal do ar, representando os cenários de mudanças climáticas, foi projetada pelo modelo climático regional Providing Regional Climates for Impacts Studie(PRECIS). Os resultados apontam que as maiores reduçõeno escoamento superficial ocorrerão nos meses do segundo semestre, para ambos os canários de mudanças climáticas, podendo proporcionar problemas, os quais refletirão diretamente sobre a organização espacial dos municípios inseridos na bacia, requerendo, assim, medidas de enfretamentos dos impactos das mudanças climáticas no âmbito regional no intuito de minimizar prejuízos no futuro. Palavras chave: Clima, recursos hídricos, projeção e impactos socioespaciais.


Cambio climático y el flujo en la cuenca del rio Goiana – Pernambuco - Brasil

Resumen. 

El objetivo de este estudio es diseñar y analizar el comportamiento del flujo en la cuenca del río Goiana frente a los escenarios del cambio climático B2 y A2. Las simulaciones se realizaron por medio del modelo hidrológico semi-distribuido simple con dos parámetros y la temperatura media mensual del aire, con la representación de los escenarios del cambio climático, fue diseñada por emodelo climático regional Providing Regional Climates for Impacts Studies (PRECIS). Los resultados muestran que las mayores reducciones del flujo se producen en la segunda mitad del año, para ambos escenarios del cambio climático, y puede presentar problemas que se reflejan directamente en la organización espacial de los municipios incluidos ela cuenca, por tanto se requieren medidas de mitigación de los impactos del cambio climático en el plano regional con el fin de minimizar daños a futuro. 

Palabras clave: Clima, recursos hídricos, proyección y impacto socio-espacial.

Ano de Publicação: 2013

Pressões antrópicas e suas potenciais implicações para a conservação das tartarugas marinhas: estudo de caso em áreas da costa brasileira sob diferentes status de proteção - Tese de Doutorado na UFPE

RESUMO

O presente estudo teve como objetivo principal detectar as ameaças que as tartarugas marinhas sofrem em áreas estuarinas e costeiras sob diferentes status de proteção na costa brasileira. A Reserva Extrativista – RESEX Acaú-Goiana (Pernambuco/Paraíba) e áreas adjacentes foram as regiões foco deste estudo no litoral do Nordeste do Brasil. O Estuário de Paranaguá (Paraná) e suas Unidades de Conservação e a Baía da Babitonga (Santa Catarina) também foram abordadas neste estudo no litoral Sul do Brasil, e englobando de uma forma geral áreas protegidas e não protegidas por lei. Através de entrevistas com populações de pescadores tradicionais artesanais foi observado que existe uma sobre-exploração de recursos pesqueiros que afeta a economia de subsistência de todas as vilas de pesca. As tartarugas marinhas estão ameaçadas principalmente pelas atividades pesqueiras, com especial atenção ao uso das redes de emalhe com tamanho de malha maior que 70 mm. A principal causa da morte das tartarugas é o afogamento ou o estrangulamento por estas redes que permanecem pescando no mar por até 12 horas. Para corroborar as informaçõeobtidas pelas entrevistas, um barco pesqueiro que utiliza a rede de emalhe de 70 mm foi acompanhado durante a estação seca (Dezembro/2011 a Março/2012), na porção adjacente ao Estuário do Rio Goiana – PE/PB. Foi observada a captura incidental de quatro indivíduos juvenis da espécie Chelonia mydas (tartaruga-verde); além das famílias de espécies alvo da pesca: Ephippidae, Centropomidae, Carangidae e Scombridae. Além disso, outras ameaças importantes foram detectadas nas regiões de estudo. O consumo alimentar das tartarugas ainda é uma importante ameaça, não somente por pescadores que as capturam de forma não intencional, mas também por encomenda de turistas. Quanto à utilização dos habitats, foi detectado que das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil quatro delas frequentam o litoral dos Estados da Paraíba, Pernambuco, Paraná e Santa Catarina: Caretta caretta (tartaruga-cabeçuda), Chelonia mydas (tartaruga-verde), Eretmochelys imbricata (tartaruga-de-pente) e Dermochelys coriacea (tartaruga-de-couro). Através do monitoramento das praias adjacentes aos Estuários do Rio Goiana e Paranaguá foram detectadas a presença de indivíduos juvenis, principalmente da espécie C. mydas. Além disso, adultos da mesma espécie foram registrados no litoral do Nordesteindicando que esta região pode ser uma importante área para cópula e alimentação de adultos. Diferentes medidas para a conservação das espécies são necessidades urgentecomo a adoção de procedimentos para reduzir a mortalidade de tartarugas marinhas por pescadores, tais como redes que possam ser monitoradas com maior freqüência evitando as redes com malha grossa e sendo treinados para recuperar as tartarugas marinhas afogadas. Novas opções para as populações tradicionais de pescadoredevem ser encorajadas, especialmente aquelas que visem a proteção das tartarugas marinhas como programas educacionais, projetos de conservação e o turismo ecológico. A participação das Unidades de Conservação neste processo é fundamental, gerenciando atividades e capacitando pessoas para tais processos, beneficiando a fauna marinha de forma geral. 

Palavras chave: ameaças, pesca artesanal, redes de emalhe, consumo, medidas para conservação.


ABSTRACT

The present study aimed to detect threats that sea turtles suffer in estuarine and coastal areas under different protection status in the Brazilian coast. The Extractive ReserveRESEX Acaú-Goiana (Pernambuco/Paraíba) and adjacent regions were the focus of this study on the Northeast Brazilian coast. The Paranaguá Estuary (Paraná) and its protected areas and Babitonga Bay (Santa Catarina) regions were also addressed in this study on the South Brazilian coast, comprising protected and unprotected areas. Through interviews with traditional populations of fishers, it was observed that there is an over-exploitation of fishing resources that affects the subsistence economy of all fishing villages. Sea turtles are threatened mainly by fishing activities, with special attention to the use of soak gillnets with mesh size greater than 70 mm. The main cause of death is drowning turtles or strangulation by fishing, especially because these nets remain at sea for up to 12 hours submerged. To corroborate the information obtained by interviews, a fishing boat that uses gillnets of 70 mm was accompanieduring the dry season (December/2011 to March/2012), at the adjacent portion of the Goiana Estuary - PE / PB. We observed the incidental capture of four juveniles of the species Chelonia mydas, green turtle, besides the families of target species: Ephippidae, Centropomidae, Carangidae and Scombridae. Furthermore, otheimportant threats were detected in the studied regions. Poaching is still an important threat and turtles are consumed not only by the fishers who catch unintentionally, but also on demand by tourists. Habitat use was detected for four of the five species of seturtles that occur in Brazil at the coasts of the states of Paraíba, Pernambuco, Paraná and Santa Catarina: Caretta caretta (loggerhead turtle), Chelonia mydas (green turtle),  Eretmochelys imbricata (hawksbill turtle) and Dermochelys coriacea (leatherback turtle). By monitoring beaches adjacent to the Goiana and Paranaguá Estuaries we detected the presence of juveniles, especially the species C. mydas. Moreover, adults of the same species have been recorded at the Northeast coast, indicating that this region can be an important area for adults mating and feeding. Conservation measurefor sea turtles are urgently needed such as: the adoption of measures to reduce seturtle mortality by fishers such as monitoring gillnets more frequently, avoiding nets with larger mesh sizes and being trained to recover drowned sea turtles. New options for traditional populations of fishers should be encouraged, especially those aimed at the protection of sea turtles as educational programs, conservation projects and ecotourism. The participation of the Conservation Units in this process is critical, managing activities and enabling people to such processes, benefiting the marine fauna in general.

Key words: threats, artisanal fishery, gillnets, poaching, mitigation measures.

Ano de Publicação: 2012

CADASTRO AMBIENTAL RURAL CAR Nasce a Identidade do Imóvel Rural

Estamos orgulhosos pelo reconhecimento que nossa entidade tem recebido ao longo dos últimos anos, por todo o pioneirismo ao apoiar a implantação de ferramentas inovadoras que visam facilitar a gestão ambiental no meio rural. O presente trabalho é fruto de um binômio essencial: (i) enfrentamento dos problemas e desafios na perspectiva de uma política de ganha & ganha (meio ambiente & produção); (ii) formalização de parcerias estratégicas e propositivas entre governo, setor privado e ONGs. O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é um exemplo disso, testado nos projetos da TNC e parceiros, e efetivados como políticas públicas, primeiramente pelos Estados do Mato Grosso e Pará, e depois assimilado nacionalmente pelo novo Código Florestal. O CAR é hoje uma importante alavanca não só para a regularização de propriedades rurais, mas para a criação de um ambiente de gestão e conservação efetiva dos recursos naturais dentro da paisagem agrícola produtiva e profícua. A TNC tem enorme prazer em compartilhar nessa publicação a experiência acumulada no tema “CAR” durante anos de dia-a-dia com produtores rurais, legisladores, gestores municipais e Estados. Desejamos que as informações aqui descritas sejam úteis para toda a sociedade, onde estaremos sempre juntos buscando aliar a produção à sustentabilidade, binômio chave para o sucesso de uma agropecuária cada vez mais sustentável. 

Antonio Werneck - Diretor da The Nature Conservancy


SUMÁRIO EXECUTIVO


E sta publicação nasce com o propósito de disseminar as diretrizes mais importantes sobre a metodologia e as tecnologias desenvolvidas pela The Nature Conservancy (TNC) e seus parceiros nos últimos anos, para o planejamento e para a implantação do Cadastro Ambiental Rural (CAR) no país. Muito mais do que um meio de monitoramento e controle ambiental dos imóveis rurais, o CAR – hojeexigido pelo novo Código Florestal – é entendido como um instrumento fundamental nos processos de recuperação e de conservação do meio ambiente. Na medida em que promove a formalização da sustentabilidade no campo, além da consolidação de cenários produtivos sustentáveis, o CAR viabiliza significativos ganhos sociais, ambientais e econômicos. Com a disseminação das informações contidas neste livro, pretende-se alcançar diversos atores da sociedade com papel essencial na sistemática de regularização dos imóveis rurais brasileiros. Almeja-se estimular, entre esses atores, a integração dos meios e métodos para a concretização do CAR em todo o Brasil, possibilitando maior eficácia no esforço de regularização ambiental dos imóveis rurais. O foco é, portanto, revelar as experiências e lições aprendidas pela TNC e seus importantes parceiros, promovendo a restauração e a conservação de florestas em áreas privadas.

Pequenos e grandes produtores, associações e sindicatos rurais, órgãos municipais e estaduais de meio ambiente, prefeituras, governos, empresas, instituições financeiras, universidades, organizações não governamentais, entre tantos outros, são o grande público-alvo dessas linhas, haja vista a relevante influência que todos têm sobre os diversos sistemas de produção agropecuária. Espera- -se munir esses atores com conhecimento que os auxilie durante o desenvolvimento das etapas de regularização ambiental dos imóveis rurais. No primeiro capítulo, descreve-se a importante representação da TNC no cenário conservacionista mundial, focalizando alguns de seus eixos estratégicos de proteção da natureza brasileira, como a Agricultura Responsá- vel, Água, Florestas e Clima, Infraestrutura, Terras Indígenas e Áreas Protegidas. Em seguida, no capítulo II, conceitua-se o instrumento de CAR, em que são revelados seus benefícios e vantagens socioambientais, preparando o leitor para o pleno entendimento deste importante instrumento do novo Código Florestal. São apresentadas as perspectivas estratégicas adotadas pela TNC e seus parceiros, relevando pontos fundamentais sobre o posicionamento da organização em relação às medidas necessárias para a realização do CAR. Além disso, trabalha-se o ferramental tecnológico desenvolvido pela TNC – como o CARGEO, o LEGALGEO e o PAM –, utilizado pelos profissionais e governos envolvidos no processo de cadastramento. Tecnologias que permitem agilidade, confiabilidade, escala e precisão de ponta das informações geradas. Descreve-se como essas ferramentas propiciam análises sistêmicas para o estabelecimento de paisagens produtivas sustentáveis, impulsionadas à medida que o CAR se estabelece. São também enumerados alguns dos resultados qualitativos obtidos nos últimos anos por meio do exercício desse posicionamento estratégico e de implantação das tecnologias para o planejamento da paisagem. Ao final, abordam-se algumas das estratégias governamentais que têm sido adotadas para se atingir a escala necessária ao cadastramento no país. Com o intuito de contextualizar o CAR à luz da legislação ambiental, no terceiro capítulo se discutem os principais instrumentos conservacionistas – relacionados ao cadastro – estabelecidos pelo Código Florestal, considerando a nova redação dada pela Lei 12.651, de 25 de maio de 2012. Não se pretende, porém, estender-se em amplas considerações sobre a referida lei, uma vez que isto fugiria ao escopo deste livro. No capítulo IV, apresenta-se a sistemática de cadastramento ambiental rural – metodologia adotada pela TNC e seus parceiros – propondo ao leitor uma espécie de passo- -a-passo consolidado ao logo de sua operacionalização em diversos municípios. Envolve desde as etapas de mobilização de todos os atores envolvidos – arranjos institucionais e sensibilização dos produtores –, passando pelo levantamento das bases cartográficas dos municípios, pelo mapeamento dos imóveis rurais por meio de varreduras e por outras diversas etapas, até o registro do imó- vel nos órgãos estaduais de meio ambiente. Com a disseminação dessa metodologia, porém, não é intenção da TNC engessar o processo de cadastramento. Pelo contrário, a organização pretende apresentar uma maneira otimizada de executá-lo e que possa ser aprimorada pelos múltiplos usuários da sistemática. O quinto capítulo pretende equacionar os principais objetivos e desafios após a fase de cadastramento dos imóveis rurais. Discute- -se o CAR sob uma abordagem de instrumentalização do ordenamento territorial, do estímulo às Boas Práticas Agrícolas, da Agricultura de Baixo Carbono, do impulso à Economia Verde, do Pagamento por Serviços Ambientais e, finalmente, da formação de cenários rurais equilibrados. Enfim, na última parte é traçada uma síntese histórica da atuação da TNC e seus parceiros no complexo processo de estabelecimento do CAR em alguns estados brasileiros. Revelam-se algumas lições aprendidas nos estados do Mato Grosso, do Pará e da Bahia, que podem servir de referencial sobre os pontos fortes e as dificuldades naturalmente presentes nos projetos de CAR. Como parte do compromisso de conserva- ção da TNC em face das demandas socioambientais brasileiras, faz-se agora um convite ao leitor para imergir no conhecimento gerado pela organização e seus diversos parceiros ao longo dos últimos anos, com o claro objetivo de “preparar o terreno” e facilitar a empreitada para a realização do CAR no país. Apesar de um registro como este permanecer estático, ele conta uma história em constante evolução na busca da conserva- ção ambiental do campo. Deseja-se, assim, que este conhecimento seja multiplicado e que sirva de base conceitual e prática de mais uma conquista genuinamente brasileira: o Cadastro Ambiental Rural.

Ano de Publicação: 2015

Sumário Executivo - folder - Plano d Ação Nacional - PAN Cavernas - PATRIMÔNIO ESPELEOLÓGICO NAS ÁREAS CÁRSTICAS DA BACIA DO RIO SÃO FRANCISCO

As cavidades naturais subterrâneas fazem parte de um relevo complexo, conhecido como carste, que é caracterizado por paisagens com feições bastante singulares, como valefechados, dolinas, parees verticais, grutas, abismos, canyons, sumidouros e ressurgência de rios, grutas, abismos, lapiás, além de drenagepredominantemente subterrânea. Desenvolvidas não somente erochas carbonáticas (calcário, dolomito), como também em quartzito, arenito, minério de ferro e canga, entre outras litologias, atribuem ao Brasil um grande e valioso Patrimônio Espeleológico, sendo que 37% das cavidades naturais subterrâneas disponibilizadas na base de dados geoespacializados do CECAV/Instituto Chico Mendes se encontram na Bacia do rio São Francisco (ref.: dez/2011).

Essas áreas, na maioria das vezes, estão submetidas a graves problemas ambientais, advindos, principalmente, de conflitos socioeconômicos ocasionados por empreendimentos ou atividades voltados para o uso e ocupação do solo e subsolo, tais como mineração, agricultura, pecuária, obras de infraestrutura e de geração de energia, desmatamentos, expansão urbana, turismo, agrotóxicos, e captação de água subterrânea e superficial, entre outros. Diante do grande número de empreendimentos e atividades potencial e comprovadamente lesivos ao Patrimônio Espeleológico brasileiro e frente à obrigação legal de conhecer, preservar e conservá-lo, o CECAV/Instituto Chico Mendes propôs o Plano de Ação Nacional para Conservação do Patrimônio Espeleológicos nas Áreas Cársticas da Bacia do rio São Francisco - PAN Cavernas do São Francisco, como forma de desenvolvemecanismos de conservação, que considerem, entre outros, as peculiaridades geológicas, geomorfológicas ou mineralógicas, os valorepaisagísticos, os recursos hídricos significativos, as espécies endêmicas ou ameaçadas de extinção, a diversidade biológica e a relevância socioeconômica da região.

Os pressupostos, princípios e prioridadepara o desenvolvimento de ações voltadas à conservação do Patrimônio Espeleológico encontram-se no Programa Nacional de Conservação do Patrimônio Espeleológico (Portaria Nº 358/2009 - MMA de 03 de Outubro de 2009) - que tem como objetivo promover, de forma integrada, a conservação e uso sustentável do Patrimônio Espeleológico Brasileiro - bem como no Decreto nº 6.640, de 10 de novembro de 2008. 

Ano de Publicação:

Relatório de Estágio no Laboratório de Ecologia de Paisagem - LECOPAI do Instituto de Biociências - IB da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Resumo

O estágio foi desenvolvido pela servidora no Laboratório de Ecologia de Paisagens (Lecopai) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e teve como objetivo o aperfeiçoamento do conhecimento da analista ambiental em geoprocessamento, sensoriamento remoto e redação científica. A área escolhida tem um grande potencial de contribuição às atividades institucionais do ICMBio, nas diversas áreas técnicas e unidades organizacionais.

Palavras-chave

áreas protegidas, geoprocessamento, sensoriamento remoto, redação científica

Ano de Publicação: 2018

Estudo de Modelos em Ambiente de Geoprocessamento para a previsão de erosão e assoreamento de reservatórios: o caso do rio Indaiá - UHE Três Marias - MG - Tese de Doutorado pela UnB

A bacia do rio Indaiá é uma importante contribuinte do reservatório da UHE Três Marias - MG, notavelmente pela sua localização em relação ao barramento e por suas altas taxas de produção de sedimentos, consequência de um contexto histórico de intensas atividades antrópicas. Esta pesquisa teve como objetivo estudar diferentes modelos em ambiente de geoprocessamento para avaliar a evolução, ao longo do tempo, dos processos de geração e transporte de sedimentos na bacia do rio Indaiá e melhor compreender e estimar o assoreamento do reservatório. Para atingir este objetivo foram realizadas as seguintes atividades: análise dos parâmetros morfométricos da bacia; avaliação, em períodos distintos, do uso e da cobertura do solo, a partir da interpretação de imagens de satélite e da utilização de técnicas de geoprocessamento; caracterização física dos solos da bacia; análise e quantificação dos sedimentos transportados pelo rio; utilização de diferentes modelos qualitativos (IPT e Campagnoli) e quatitativos (EUPS, MEUPS, MMF e Método do Cs) de previsão de erosão, para a identificação das áreas-fonte potenciais de sedimentos e a obtenção das taxas de perda de solo, respectivamente; e realização de levantamentos geofísicos no reservatório. A pesquisa mostra que, entre os anos de 1972 e 2005, a vegetação nativa da bacia foi reduzida em 45,0%, e que, entre os anos de 1072 e 1983, houve um aumento de 38.7% das áreas de solo exposto, pastagem com solo exposto e área urbana, com uma gradual redução até o ano de 2005. As mudanças no uso e na cobertura do solo, ao longo do tempo, e as alterações no regime pluviométrico se refletiram no comportamento dos sedimentos transportados pelo rio e nos valores de perda de solo da bacia. Os mapas de perda de solo por erosão laminar, obtidos pela aplicação dos modelos EUPS e MMF, mostram que a maior concentração de pontos com altos valores de perda de solo ocorre no trecho norte da bacia, próximo ao encontro do rio com o reservatório. Dos modelos quantitativos empregados, o que apresentou as taxas anuais de perda de solo mais próximas das estimadas na estação sedimentométrica foi a MEUPS. Os levantamentos geofísicos realizados no reservatório mostram que existe um avanço da pluma de sedimentos finos para o interior do reservatório e que os sedimentos grosseiros depositam-se próximos à foz do rio.

Ano de Publicação: 2009

Avaliação da precisão posicional de uma carta topográfica na escala 1:100.000 na área do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães - MT

Com o avanço tecnológico na área de Geoinformação, surge a necessidade de adequação das produções cartográficas aos índices e padrões de qualidade atualmente exigidos por lei. Porém, grande parte do acervo cartográfico oficial que se tem hoje, largamente utilizado na produção de dados espaciais, não atende mais ao padrão de qualidade exigido para obtenção de um dado de confiança. A atualização desse acervo demanda grande esforço técnico e financeiro por parte do governo e por isso os projetos para atualização cartográfica são pontuais. No sentido de averiguar a qualidade dos dados espaciais contidos nas bases oficiais, com relação pelo menos a acurácia posicional e temática obtidos, é imperativo que seja feito verificação prévia da condição atual das informações e feições contidas nesses materiais por meio de um método simples acessível a qualquer usuário de SIG. Essa avaliação pode ser realizada a partir de pontos de coordenadas de campo coletadas com GPS de precisão conhecida. O método propõe a obtenção da diferença das latitudes (DY) e longitudes (DX) entre o ponto coletado em campo e o seu homólogo na carta topográfica. Os resultados dessas diferenças são representados por meio de elementos estatísticos de variância e desvio padrão, vinculados a testes de hipóteses t student e qui quadrado tabelados, e objetivam a tomada de decisão sobre a viabilidade ou não do uso de uma carta topográfica para construção de um projeto cartográfico novo de boa qualidade acuracional e temática. Como alternativa de complemento ou substituição dessas fontes de dados quando for o caso, é avaliada a viabilidade de uso de imagens de Sensoriamento Remoto como dado subsidiário como prevê o Decreto-Lei nº 243, de 28 de fevereiro de 1967. A pesquisa tem aplicação em área de Unidade de Conservação Federal.

Palavras Chave: geoinformação, acurácia, carta topográfica e testes.

Ano de Publicação: 2012