Biblioteca


        
 
Título
Categoria Tipo de publicação
Descrição Autores


VARIAÇÕES DA CONCENTRAÇÃO DO MATERIAL PARTICULADO EM SUSPENSÃO AO LONGO DE UM CICLO DE MARÉS E EM ESCALA SAZONAL (SECA/CHUVA) NO BAIXO ESTUÁRIO DO RIO GOIANA (PE/PB) - TCC Bacharelado em Ciências Biológicas na UFPE

RESUMO

O material particulado em suspensão (m.p.s.) é um compartimento biogeoquímico, constituído de fração orgânica e inorgânica, viva ou não-viva, que pode influenciar os padrões de exportação de nutrientes e poluentes em estuários, e logo a disponibilidade e quantidade dos recursos vivos. O objetivo deste trabalho foi avaliar as concentrações de m.p.s. (mg/L-1) no baixo estuário do Rio Goiana (7º 32’ a 7º 35’ S e 34º 50’ a 34º 58’ W), em duas escalas de tempo: nictemeral (24h) e sazonal (seca e chuva). Foram determinados concomitantemente os parâmetros físico-químicos da água, profundidade de Secchi, salinidade, temperatura da água, concentração de oxigênio dissolvido, porcentagem de saturação de oxigênio. As coletas foram realizadas em dois dias consecutivos no final da estação de seca (Abril 2012) e no final da estação chuvosa (Agosto 2012) ao longo do ano de 2012, com o auxílio da garrafa de van Dorn e do disco de Secchi. As concentrações de m.p.s. variaram de 17,0±2,6 mg.L-1 a 44,6±19,01 mg.L-1, no período de seca e entre 15,1±1,1 mg.L-1 e 56,4±2,4 mg.L-1, no período chuvoso. A média da pluviosidade anual foi de 119,8±6,4mm. A descarga de m.p.s. variou entre 35,7 t no período de seca e 28,9 t no período chuvoso. Os parâmetros físico-químicos variaram dentro dos valores esperados para estuários tropicais. O material particulado em suspensão não variou em função do ciclo de marés e também não apresentou variação sazonal aparente, provavelmente devido à baixa precipitação no ano de 2012. Isso significa que o presente estuário é fortemente controlado pelas chuvas, e não necessariamente pelas correntes de marés que o adentram.

Palavras-chave: estuário tropical, descarga, parâmetros físico-químicos, variação sazonal.


ABSTRACT

The suspended particulate matter (s.p.m.) is a biogeochemical compartment, consisting of organic and inorganic fractions, whether living or non-living, that may influence the patterns of export of nutrients and pollutants in estuaries, and soon the availability and quantity of living resources. The aim of this study was to evaluate the concentrations of s.p.m. (mg/L-1) in the lower estuary of the river Goiana (7º 32’ a 7º 35’ S e 34º 50’ a 34º 58’ W), at two time scales: nictemeral (24h) and seasonal (wet and dry). Were determined concomitantly physico-chemical parameters, Secchi depth, salinity, water temperature, dissolved oxygen concentration, percent oxygen saturation. Samples were collected on two consecutive days at the end of the dry season (April 2012) and at the end of the rainy season (August 2012) during the year 2012, with the aid of the van Dorn bottle and Secchi disk. The concentrations of s.p.m. ranged from 17,0±2,6 mg.L-1 and 44,6±19,01 mg.L-1during the dry season and from15,1±1,1 mg.L-1 and 56,4±2,4 mg.L-1, in the rainy season. The average annual rainfall was 119,8 ± 6,4 mm. The discharge of s.p.m. ranged between 35.7 t in the dry season and 28.9 t in the rainy season. The physico-chemical parameters varied within the range expected for tropical estuaries. The suspended particulate matter did not vary with the tidal cycle and also showed no apparent seasonal variation, probably due to low rainfall in the year 2012. This means that this estuary is strongly controlled by the rains, and not necessarily by tidal currents that they enter.

Key words: tropical estuary, discharge, physico-chemical parameters, seasonal variation.

Ano de Publicação: 2013

Lista de aves da Reserva Extrativista Acau-Goiana

Lista exportada utilizando a plataforma Táxeus. © 2011-2014 - Táxeus | Listas de espécies - www.taxeus.com.br

Ano de Publicação:

Variação sazonal, espacial e lunar do ictioplâncton e do microplástico nos diferentes habitats do estuário do Rio Goiana (Resex Acaú-Goiana PE/PB) - Tese de Doutorado na UFPE

RESUMO

Estuários são considerados ambientes importantes por promover refúgio, alimentação, reprodução e crescimento, além de servir como possíveis habitats de berçário para muitas espécies de peixes. Estudos sobre os padrões de movimento da comunidade ictioplanctônica dentro do ecossistema estuarino são de grande importância para entender como as espécies utilizam os recursos disponíveis para completar os seus ciclos de vida através das variações temporais e espaciais das diferentes fases ontogenéticas. Entretanto, a complexidade hidrodinâmica dos estuários não só influencia os organismos vivos, mas também materiais inanimados, tais como os detritos plásticos, atuando em sua retenção ou transporte para outros ambientes. Os detritos plásticos, associados ao aumento da urbanização das bacias hidrográficas, se originam principalmente em terra devido ao descarte impróprio, acidental ou desastres naturais. Durante seu tempo na terra, no mar ou nos estuários, os plásticos se fragmentam em microplásticos (< 5 mm). Flutuações sazonais de larvas de peixes e detritos plásticos (< 5mm) e suas quantidades em relação ao seston (organismos vivos e partículas não-vivas) foram estudadas ao longo do gradiente de salinidade do estuário do Rio Goiana (Resex Acaú-Goiana PE/PB) (Entre Abril, 2012 até Março, 2013). Além disso, a influência lunar na distribuição de larvas de peixes, zooplâncton e detritos plásticos (< 5 mm <) em canais de maré do mesmo estuário foi estudada durante um ciclo lunar (Entre Abril e Maio, 2008). Os taxa mais abundantes no canal principal foram Rhinosardinia bahiensis e Harengula sp., seguidos por Trinectes maculatus. Estes contaram 78,7% da captura total. Larvas de espécies marinhas (n = 15) dominaram o sistema. A flutuação sazonal da cunha salina parece regular a distribuição das larvas de peixes e de microplásticos ao longo do sistema. A densidade total de microplásticos (26,1 itens 100 m-3) representou metade da densidade total de larvas (53,9 ind. 100 m-3) e foi comparável com a densidade de ovos de peixes (32,4 ind. 100 m-3). Plásticos moles, duros, filamentos e fragmentos tintas de barco foram encontrados nas amostras (n = 216). Suas origens são provavelmente a bacia de drenagem do rio, o mar e a pesca, incluindo a pesca de lagosta). Em algumas ocasiões, a densidade de microplásticos ultrapassou a de ictioplâncton. Durante o início da estação chuvosa, zooplâncton e larvas de peixes apresentaram densidades baixas no estuário superior. No estuário intermediário, a maior densidade de larvas de peixes coincidiu com as altas concentrações de zooplâncton. No final da estação chuvosa, o fluxo rio abaixo foi responsável pelo transporte do plâncton total e dos microplásticos para a região próxima à costa. A maior quantidade de microplásticos foi observada durante o final da estação chuvosa (14 itens 100m-3), quando o ambiente está sob a influência de maior vazão do rio, o que induz o escoamento dos fragmentos de plásticos para o estuário inferior. No início da estação seca, a densidade total do plâncton aumenta rio acima. No final da estação seca, o “bloom” de zooplâncton no estuário inferior resultaram em altas densidades de larvas (12,74 ind. 100m-3) e ovos de peixes (14,65 ind. 100m-3), indicando que peixes marinhos utilizam a porção inferior como áreas de desova durante o verão. Além disso, Cetengraulis edentulus, Anchovia clupeoides e R. bahiensis foram as larvas de peixes mais abundantes (56.6%) em canais de maré da porção inferior do estuário, independente da fase da lua. A lua cheia teve influência positiva na densidade de Gobionellus oceanicus, Cynoscion acoupa e Atherinella brasiliensis, e a lua nova em Ulaema lefroyi. As luas cheia e nova também influenciaram o número de zoé e megalopa de U. cordatus, e protozoé e larva de camarão Caridae, bem como o número de plásticos duros e moles de ambos os tamanhos < 5 mm e > 5 mm. Micro e macroplásticos contaminaram todos os 12 canais de maré estudados. A densidade de fragmentos plásticos é similar à do terceiro táxon mais abundante, R. bahiensis (4,8 ind 100m-3). C. edentulus e R. bahiensis mostraram forte correlação com a lua quarto crescente, quando há menos zooplâncton. A lua quarto crescente também teve uma influência positiva nas altas densidades de micro filamentos plásticos nos canais. Anchovia clupeoides, Diapterus rhombeus, U. lefroyi e microplásticos duros tiveram associação com diferentes fases da lua, ocorrendo quando copépoda calanoida, larva de Caridae e zoé de U. cordatus foram abundantes nos canais. Cynoscion acoupa, G. oceanicus e A. brasiliensis, tiveram forte associação com a lua cheia, quando protozoé de Caridae e megalopa de U. cordatus também estavam altamente disponíveis, bem como plásticos duros e moles > 5mm, e tintas de barco e plásticos moles < 5mm. As fases da lua influenciaram a assembléia faunal e a poluição por plástico, mudando suas composições entre diferentes estágios de marés dentro dos canais da porção inferior do estuário do Rio Goiana. Esses resultados reforçam a importância do canal principal e dos canais de maré para proteção e estratégias alimentares. Além disso, a assembleia de larvas de peixes do estuário do Rio  Goiana inclui muitas espécies que ocorrem no sistema como juvenis e adultos, confirmando o uso do estuário como berçário.

Palavras chave: Séston. Cunha salina. América do Sul. Zooplâncton. Larva de peixe. Microplásticos. Ciclo lunar. Estuário tropical.


ABSTRACT

Estuaries are considered important environments for promoting refuge, food, reproduction, growth and for being the nursery grounds of many fish species. Studies on the movement patterns of the ichthyoplankton in an estuarine ecosystem are of great importance for understand how the species utilize the available resources to complete their life cycles using the temporal and spatial variations of different ontogenetic phases. Although, the hydrodynamic complexity of estuaries not only influences the living organisms, but also inanimate material, such as plastics debris, acting in their retention or transportation to other environments. Plastics debris, associated to the increasing urbanization of watersheds, originate mainly on land due to improper disposal, accidental release or natural disasters. During their time at land, sea and estuaries, plastics fragment into microplastics (< 5 mm). Seasonal fluctuations of fish larvae and plastic debris (< 5mm) and their quantification relative to the seston (living organisms and non-living particles) were studied along the salinity gradient of the Goiana Estuary (Resex Acaú- Goiana PE/PB) (between April, 2012 and March, 2013). Moreover, the lunar influence on the distribution of fish larvae, zooplankton and plastic debris (> 5 mm <) in mangrove creeks of the same estuary was studied over a lunar cycle (between April and May, 2008). The most abundant taxa in the main channel were Rhinosardinia bahiensis and Harengula sp., followed by the achirid Trinectes maculatus. These accounted for 78.7% of total catch. Larvae of marine species (n = 15) dominated the system. Seasonal fluctuation of salt wedge seems to rule the larval fish and microplastics distribution along the system. Microplastics (26.1 items 100 m-3) represented half of the total fish larvae density (53.9 ind. 100 m-3) and was comparable to fish eggs density (34.2 ind. 100 m-3). Soft, hard plastics, threads and paint chip fragments were found in the samples (n = 216). Their origins are probably the drainage river basin, the sea and fisheries, including the lobster fleet. In some occasions, the density of microplastics surpassed that of Ichthyoplankton. During the early rainy season, zooplankton and fish larvae presented low densities in the upper estuary. In the middle estuary, the higher density of fish larvae coincided with high zooplankton concentrations. In the late rainy season, the downstream flow was responsible for the shoreward transport of total plankton and microplastics. The highest amount of microplastics (14 items 100m-3) was observed during the late rainy season, when the environment is under influence of the highest river flow, which induces the runoff of plastic fragments to the lower estuary. In the early dry season, the turbidity drops and the density of total plankton rises upstream. In the late dry season, the bloom of zooplankton in the lower estuary results in summer high densities of fish larvae (12.74 ind. 100m-3) and fish eggs (14.65 ind. 100m-3), indicating that marine fishes utilizes the lower portion as spawning grounds during the summer. In addition, Cetengraulis edentulus, Anchovia clupeoides and R. bahiensis were the most abundant fish larvae (56.6%) in mangrove creeks of the lower portion of the estuary, independent of moon phase. The full moon had positive influence on densities of Gobionellus oceanicus, Cynoscion acoupa and Atherinella brasiliensis, and the new moon on Ulaema lefroyi. The full and new moon also influenced the number of zoea and megalopa of U. cordatus, and protozoea and larvae of Caridae shrimp, as well as the number of hard and soft plastics, both < 5mm and > 5mm. Micro and macroplastics contaminated all twelve creeks studied. Their density is similar to the third most abundant taxa, R. bahiensis (4.8 ind. 100m-3). Cetengraulis edentulus and R. bahiensis showed a strong correlation with the last quarter moon, when there were less zooplankton in the creeks. Last quarter moon also had a positive influence on higher densities of micro-sized plastic threads. Anchovia clupeoides, Diapterus rhombeus, U. lefroyi and micro-sized hard plastics were associated to different moon phases, occurring when copepod calanoida, Caridae larvae and zoea of U. cordatus were abundant in the creeks. Cynoscion acoupa, G. oceanicus and A. brasiliensis, were strongly associated to full moon, when protozoea of Caridae and megalopa of U. cordatus were also highly available, as well as hard and soft plastics > 5mm, and paint chips and soft plastics < 5mm. The moon phases influenced the composition of the faunal assemblage, and plastic pollution by shifting them between different tidal stages into the mangrove creeks of the Goiana Estuary. These results reinforce the importance of the main channel and mangrove creeks for protection and feeding strategies. In addition, the larval fish assemblage of the Goiana Estuary includes many species that occurs in the system as juveniles and adults, confirming the use of the estuary as a nursery.

Key words: Seston. Salt wedge. South America. Zooplankton. Fish larvae. Microplastics. Lunar cycle. Tropical estuary.

Ano de Publicação: 2015

Eventos morfológicos e padrões de crescimento durante a ontogenia das primeiras fases do ciclo de vida das espécies de bagres marinhos (Ostariophisii – Ariidae) no estuário do Rio Goiana (PE/PB–Brasil). Dissertação de Mestrado na UFPE

RESUMO

Esse estudo apresenta os eventos morfológicos durante a ontogenia das espécies Cathorops spixii (Agassiz, 1829) e C. agassizii (Eigenmann & Eigenmann, 1888), usando os padrões de crescimento como resposta às necessidades anatômicas no momento das transições morfológicas (embriogênese e metamorfoses). Os espécimes de C. spixii e C. agassizii foram coletados nas três áreas (superior, media, inferior) do canal principal do estuário do Rio Goiana. Ovos, embriões livres e juvenis (< 40 mm) foram retirados da cavidade bucal do macho incubador de ambas as espécies. O desenvolvimento dos bagres ariideos foi estudado desde um embrião logo após a neurulação até a formação de um juvenil. Em geral, embriões de C. agassizii possuem sacos vitelínicos mais pesados comparado com C. spixii (0.27g ± 0.01 e 0.22g ± 0.02, respectivamente). As descrições revelam que o aparecimento das vértebras e dos otólitos, bem como a ossificação dos otólitos e do aparelho de Weber ocorre primeiro em embriões de C. agassizii. Antes da eclosão os embriões de ambas as espécies apresentam o esqueleto axial e apendicular bem ossificado. As divergências morfológicas externas são mais visíveis em embriões livres. Embriões livres de C. agassizii possuem olhos maiores em diâmetro e barbilhões maxilares mais curtos quando comparado com C. spixii; e o focinho e a cabeça são mais longos. Embriões livres de C. spixii possuem nadadeiras peitoral, dorsal, pélvica e anal localizadas numa posição mais posterior comparado com C. agassizii. Embriões livres de C. agassizii também possuem vitelos maiores. Durante o período juvenil, o principal caráter morfológico que difere as espécies é o diâmetro do olho e o comprimento do barbilhão maxilar, maiores em C. agassizii. Os embriões crescem lentamente no sentido longitudinal, mas padrões de crescimento acelerado [alométrico positivos (β0>1)] foram observados para a largura da cabeça e o diâmetro do olho. Isto parece estar relacionado com o rápido desenvolvimento dos órgãos sensoriais como os otólitos, o aparelho de Weber, o cristalino, as narinas e os barbilhões. Após a eclosão, embriões livres incubados na cavidade bucal dos machos crescem isometricamente (β0=1). Padrões de crescimento lento [alométrico negativo (β0<1)] foram observados na largura da cabeça e no diâmetro do olho durante o período de saco vitelínico, considerando que os órgãos sensoriais já estão formados. Os ossos da cabeça são bem reconhecidos em embriões livres, que se assemelham com juvenis. O final do período de saco vitelínico é caracterizado por uma mudança direta de embrião livre para juvenil, sem um período larval verdadeiro. O período juvenil é caracterizado por padrões de crescimento próximos ao isométrico em todas as regiões do corpo, sugerindo que os juvenis são altamente desenvolvidos e apresentam a maioria das características de peixes adultos. 

Palavras-chave: crescimento; ontogênese; estuário; embrião; cuidado parental; otophisi; Siluriformes.


ABSTRACT

This study presents an overview of the morphological events during the early ontogeny of the species Cathorops spixii (Agassiz, 1829) and C. agassizii (Eigenmann & Eigenmann, 1888), using growth patterns as response to anatomical needs in the moment of morphological transitions (embryogenesis and metamorphosis). Specimens of C. spixii and C. agassizii were taken in the three areas (upper, middle and lower) of the main channel of Goiana River estuary. Eggs, free-embryos and young-juveniles (< 4 cm) were collected from the buccal cavity of the mouth-brooding adult male of both species. The development and allometric growth of the ariid catfishes were studied from newly neurula embryo to juveniles. Generally, embryos of C. agassizii have a larger yolk mass compared with C. spixii (0.27g ± 0.01 e 0.22g ± 0.02, respectively). The descriptions revealed that vertebrae and otolith appearance and the ossification of the otoliths and Weberian apparatus occurs first in embryos of C. agassizii. In contrast, the  external morphological divergence is stronger in free-embryos. Free-embryos of C. agassizii have larger eyes and shorter maxillary barbells when compared to C. spixii; and their snouts and head are longer. Free-embryos of C. spixii have pectoral, dorsal, pelvic and anal fins placed in a more posterior position compared with C. agassizii. Differences in head angle and width were not detected. Free-embryos of C. agassizii also have larger yolk-sacs. During the juvenile period the main morphological characters that differ between species are the eye diameter and the length of the maxillary barbells, reaching higher values in C. agassizii. Prior to hatching embryos of both species are well-developed with axial and appendicular skeleton well ossified. Embryos grow slowly longitudinally, but accelerated growth patterns [positively allometric (β0>1)] were observed in head width and eye diameter. It seems to be related to the fast development of sensory organs such as otoliths, Weberian apparatus, lens, nostrils and barbells during the embryonic period. After hatching, mouth-brooded free embryos grow isometrically (β0=1), except in the snout length that presents a fast growth pattern related to the end of the endogenous feeding. Slow growth patterns [negatively allometric (β0<1)] were observed in head width and eye diameter during the yolk-sac period, take into account that sensory organs are already formed. Head bones are easily-recognizable in free-embryos resembling adult fishes. The end of the yolk-sac period is characterized by a direct change from free-embryo to a juvenile, without a true larva period. The juvenile period is characterized by growth patterns nearly to the isometric in all body regions, what suggests that juveniles of C. spixii are highly developed and resemble most characteristic of adult fishes.

Key words: growth; ontogenesis; estuary; free-embryo; parental care; otophysan; Siluriformes.

Ano de Publicação: 2011

A IMPORTÂNCIA DAS PRAIAS PARA O DESENVOLVIMENTO INICIAL DE ASSEMBLEIAS DE PEIXES E MACROCRUSTÁCEOS: VARIAÇÃO ESPAÇOTEMPORAL DA ICTIOFAUNA EM PRAIAS ADJACENTES A UM ESTUÁRIO TROPICAL (RESEX ACAÚ-GOIANA PE/PB, BRASIL) - Tese de Doutorado na UFPE

RESUMO

As zonas costeiras são consideradas áreas de transição entre os domínios continental e marinho, apresentando alta complexidade e dinamismo. Representando  aproximadamente 10% das áreas emersas habitáveis, abrigam atualmente cerca de dois terços da população mundial proporcionando inúmeros serviços econômico-sociais a sociedade humana, que em constante expansão sobrecarrega cada vez mais esses ambientes que exercem papéis ecológicos fundamentais na manutenção da biodiversidade (e produtividade) local e de ecossistemas adjacentes (terrestre e marinho). Dentre os diferentes ecossistemas costeiros, os sistemas estuarinos são bastante conhecidos por estarem presentes em praticamente toda a costa brasileira, assim como por apresentarem grande importância ecológica, econômica e social. Na costa nordeste do Brasil muitos ecossistemas estuarinos ainda encontram-se pouco ou até mesmo não estudados, deixando uma lacuna nos estudos ecológicos referentes a esses ecossistemas que além de grande dinamismo também apresentam muitas particularidades, principalmente ao longo dessa região (NE) onde a plataforma continental é mais estreita. Dessa forma, durante o período de doze meses o habitat praia estabelecido na porção externa do estuário do Rio Goiana foi amplamente estudado, tendo como objetivo principal, avaliar o potencial desse ambiente como berçário para as assembleias de peixes. Um total de três desenhos  amostrais foram elaborados e executados nas praias adjacentes a foz do Rio Goiana. A  partir do esforço amostral, aspectos relacionados à composição e dinâmica da comunidade de fauna, assim como, características morfodinâmicas e ambientais, foram descritos pela primeira vez nesse habitat, que atualmente encontra-se sob a condição de Reserva Extrativista (RESEX Acaú-Goiana). Foi identificado que as praias adjacentes ao estuário ocorrem junto a um extenso terraço de baixa-mar, cortado pelo canal principal do rio ao longo da margem sul do estuário. Por se tratar de um ambiente dominado pela maré, diferentes ciclos ambientais como o ciclo lunar e circadiano, apresentaram grande influencia nos padrões das variáveis ambientais (salinidade, temperatura da agua, oxigênio dissolvido e profundidade), assim como, no uso do habitat pelas diferentes espécies da fauna. A diferença no regime de chuvas ao longo do ciclo sazonal mostrou-se determinante na composição da comunidade biótica das praias, dominadas por espécies estuarinas durante a estação chuvosa, e abrigando um maior número de espécies costeiras durante a estação seca. Esse ciclo sazonal do habitat, estimulado pelas oscilações de variáveis ambientais como salinidade e temperatura, permite que o habitat contemple um maior número de espécies, e aumenta a eficiência do fluxo de energia entre a porção interna do estuário e habitats costeiros adjacentes. A porção externa do estuário do Rio Goiana proporciona um extenso habitat de aguas rasas, ideal para o desenvolvimento inicial de varias espécies de peixes e crustáceos. É nesse habitat, que o berçário de espécies chave ocorre. O grande acúmulo de matéria orgânica, típico de terraços de maré, associado às baixas profundidades e transparência, promovem proteção e recursos alimentares para inúmeras espécies em desenvolvimento inicial, se apresentando assim, como uma importante alternativa de berçário para as assembleias de peixes e crustáceos. As praias estudadas podem exercer um importante papel na manutenção da biodiversidade do ecossistema estuarino e adjacente. As informações levantadas no presente estudo são inéditas, podendo servir de auxilio aos órgãos competentes, em seus planos de manejo de ecossistemas costeiros em unidades de conservação. 

Palavras-chave: ciclo lunar, conectividade, ritmo circadiano, sazonalidade, Terraço de baixa-mar, variação espaço-temporal.


ABSTRACT

Coastal areas are considered transition zones between continental and marine environments, with high complexity and dynamism. Representing approximately 10% of the habitable emerged areas, currently home to about two-thirds of the world population providing numerous services (economic and social) to human society, which in constantly expanding, overwhelms these environments which performing key ecological roles in the maintenance of local biodiversity (and productivity ) and in the adjacent ecosystems (terrestrial and marine). Among the different coastal ecosystems, estuarine systems are well known to be present in practically the entire Brazilian coast, as well as presenting ecological, economic and social services. On the northeast coast of Brazil many estuarine ecosystems are still little or even not studied, leaving a gap in ecological estuarine studies, especially over this region (NE), where the continental shelf is narrower providing many particularities to this ecosystems. So, during the twelve-month period, the beach habitat established in the outer portion of the estuary Goiana was widely studied, with the main purpose of evaluating the potential of this environment as a nursery for fish assemblages. A total of three sampling designs were developed and implemented in the sandy beaches adjacent to Goiana River’s mouth. Aspects related to the composition and dynamics of the faunal community, as well as, morphodynamic and environmental features, were described for the first time in this area, a Marine Conservation Unit, of type Extractive Reserve (RESEX Acaú-Goiás). It was identified that the adjacent estuarine beaches occur along an extensive low tide terrace, crossed by the Goiana main channel along the southern shore. As a tide dominated environment, different environmental cycles, such as circadian and lunar cycle, had great influence on the patterns of environmental variables (salinity, water temperature, dissolved oxygen and depth), as well as in habitat use by different fauna species. The differences in rainfall regime along the seasonal cycle, proved decisive in the composition of the biotic community, dominated by estuarine species during the rainy season, and harboring a greater number of coastal species during the dry season. This seasonal cycle of the habitat, allows the sandy beaches to contemplate a larger number of species, and increases the efficiency of energy flow between the inner portion of the estuary and adjacent coastal habitats. The outer portion of Goiana River estuary provides an extensive shallow water habitat, ideal for the initial development of various species of fish and crustaceans. In this habitat, the nursery of key species for the livelihoods of traditional families as Mugil spp. and Callinectes danae occurs. The large accumulation of organic matter (wrack), typical of tidal terraces, associated to lowest depths and water transparency, promote protection and food resources for many species  in early development, presenting as an important alternative nursery and feeding site for fish and crustaceans species. Thus, the sandy beach habitat plays an important role in the livelihood of the local community, as well as in maintaining the biodiversity of estuarine-coastal continuum. The information gathered in this study, should be taken into account by environmental agencies in their planning of coastal ecosystems. 

Keywords: circadian rhythm, connectivity, Low Tide Terrace, lunar cycle, seasonality, spatial-temporal variation.

Ano de Publicação: 2014

Implicações de fatores ambientais na deposição de plásticos no ambiente praial de um ecossistema estuarino. Dissertação de Mestrado na UFPE

Resumo

O lixo marinho constitui todo aquele material de origem antropogênica, como plástico, papel, vidro, madeira e outros, que chega aos ambientes marinho e costeiro por diversas fontes, e é um dos principais poluentes marinhos do século XXI. As praias são os ambientes mais estudados com relação à contaminação por lixo marinho, mas praias estuarinas são raramente foco de estudos sistemáticos. Uma praia estuarina localizada no estuário do Rio Goiana (PE/PB) foi monitorada entre abril de 2006 e março de 2007. Foram monitorados três transectos de 20m de largura, divididos em dois estratos, a praia (ou estirâncio) e a pós-praia, que foram amostrados separadamente. Mensalmente, os transectos foram monitorados e totalmente limpos, sendo observadas quantidades, composição, categorias de tamanho (1-10cm², 11- 100cm², 101-1000cm², >1001cm²) e estimadas as principais fontes mais prováveis do lixo marinho. Parâmetros meteorológicos, morfológicos e físicoquímicos foram registrados. Uma estação chuvosa (abril a setembro de 2006) e uma estação seca (outubro de 2006 a março de 2007) foram definidas. No período de chuva, a praia estava significativamente mais contaminada. O plástico foi o tipo de item mais amostrado em todos os meses. As fontes identificadas foram o Rio Goiana (63,2%) e a atividade de pesca (37,5%), para a qual foram encontradas diferenças significativas entre a temporada da pesca da lagosta (Maio-Agosto) e os outros meses do ano. Apesar de o balanço sedimentar ao final de 12 meses ter sido neutro, houve deposição e erosão da praia em diferente meses do ano. A categoria 11-100cm² representou 56% dos resíduos coletados, seguido por 1-10cm² (26%), 101- 1000cm² (15%) e >1001cm² (3%). Foram encontradas diferenças significativas entre o Rio Goiana e a categoria de >1001 cm² e fontes mistas e as categorias 101-1000 e >1001 cm². Houve diferença significativa, em número total de itens, entre a praia e a pós-praia, entre os meses de chuva e seca e entre as categorias de tamanho amostradas. Os itens predominantes foram fragmentos e embalagens de plástico mole, fragmentos de isopor, fragmentos de copo, fragmentos e embalagens de plástico duro e sacolas plásticas na praia e póspraia, para cada uma das categorias de tamanho. Os plásticos moles com fontes no Rio Goiana e mistas são mais encontrados na praia, enquanto plásticos rígidos com fontes no Rio Goiana e na pesca são mais encontrados na pós-praia. Itens foram analisados separadamente, e para o estuário do Rio Goiana, foi estimado o risco potencial de cada um deles para a comunidade biológica local (ingestão, emaranhamento, incrustação) e a população ribeirinha (qualidade estética da praia, atividades de pesca e outras embarcações, problemas de saúde pública). As sacolas plásticas e as embalagens de plástico mole de >1001cm² foram consideradas os itens mais perigosos. No geral, a ingestão e a perda da qualidade estética são os principais impactos previstos nessa análise. Recomenda-se como prioridade de ação para o abatimento desse tipo de poluição no estuário do Rio Goiana a  disponibilização de infra-estrutura básica para recolhimento de lixo e esgoto para as embarcações e população das vilas de Acaú e Carne de Vaca.

Palavras-chave: lixo marinho, Estuário do Rio Goiana, Nordeste do Brasil.


Abstract

Marine debris are materials from anthropogenic sources, such as plastics, paper, glass, wood and others, that enter the marine and coastal environments from multiple sources, and are considered as one of the most important marine pollutants by the turn of the XXI Century. Sandy beaches are usually more studied because they are relatively easy to be monitored, but estuarine beaches are rarely the focus of systematic works. An estuarine beach on the Goiana River estuary (PE/PB) was monitored from April 2006 to March 2007. Three 20m wide replicate transects divided into two strata, foreshore and backshore, were individually monitored. Monthly, transects were monitored and cleaned, being registered quantities, composition, size categories (1- 10cm², 11-100cm², 101-1000cm², >1001cm²) and, the most probable sources were estimated. Meteorological, morphological and physico-chemical parameters were registered. A rainy season (April to September 2006) and a dry season (October 2006 to March 2007) were defined. In rainy season, the beach was significantly more contaminated by marine debris. Plastics were the prevalent type of item in all monitored months. Identified sources were the Goiana River estuary (63.2%) and fishing activities (37.5%), and significant differences in the number of fishing-related items were registered between the lobster fishing months (May to August) and the other months. In spite of the neutral sedimentary balance in a one year cycle, there is deposition and erosion of the beach in different months. The most common category was 11- 100cm² with 56% of the total items, followed by 1-10cm² (26%), 101-1000cm² (15%) e >1001cm² (3%). There were significant differences between the Goiana River source and >1001 cm² size category, and between mixed sources and 101-1000 e >1001 cm² categories. There were significant differences, in the total number of items, between foreshore and backshore, the rainy and dry months and the size categories sampled. Prevalent items were fragments and soft packaging, polystyrene fragments, fragments of cups, fragments and rigid plastic containers and plastic bags on the foreshore and backshore for each size categories. Soft plastics from the Goiana River and from mixed sources were more sampled on the foreshore, while rigid plastics from the Goiana River and from fishing activities were more sampled on the backshore. The most sampled items were individually analyzed and the potential risk of each one was estimated to both the biota (ingestion, entanglement, fouling) and the riverine population (scenic quality, boating and fishing, human health). For this particular size, plastic bags and soft packaging with >1001cm² are considered the most dangerous items. In general, ingestion and degradation of the scenic quality were the most important impacts. It is recommended, as priority actions to the reduction of this type of marine pollution in the estuary, the introduction of alternatives to the collection of solid wastes and sewage from fishing boats and from the riverine population from Acaú and Carne de Vaca.

Key-words: marine debris, Goiana River estuary, Northeast Brazil.

Ano de Publicação: 2008

Plastic pollution risks in an estuarine conservation unit

ABSTRACT

Ivar do Sul, J.A. and Costa, M.F. Plastic pollution risks in an estuarine conservation unit. In: Conley, D.C., Masselink,

G., Russell, P.E. and O’Hare, T.J. (eds.), Proceedings 12th International Coastal Symposium (Plymouth, England),

Journal of Coastal Research, Special Issue No. 65, pp. 48-53, ISSN 0749-0208.

Plastics enter the marine environment mostly from land-based sources, often via estuaries. However, studies related to plastic debris pollution remain rare within these environments. An estuarine beach comprised within a Marine Conservation Unit (MCU) in the Northeast coast of Brazil was studied during one year regarding plastic pollution. Petroleum derived products were >95% of all items, as commonly reported for other coastal and marine habitats. Monthly totals of marine debris presented an average of 10.8±1.63 items.100m-2, much lower than reported in the literature for other estuarine beaches. Three main sources were identified: fisheries, local users and human settlements along the river basin. The most frequent (56%) size category was 11-100cm2, but fragmented items alone were 83% of observed items. The main impact on the estuarine and visiting biota expected is the ingestion of plastic items and fragments, which was corroborated by recent works on estuarine fishes. Interactions with fishing gear are highlighted in the context of this MCU. To protect the traditional livelihoods in the Goiana Estuary, the guarantee of a healthy ecosystem, inclusive free from plastic pollution, must be included in management plans. 

ADDITIONAL INDEX WORDS: Environmental monitoring, pollution control, ecosystem management, fisheries, physical fragmentation, ingestion, nylon

Ano de Publicação: 2013

Interannual and Seasonal Variations in Estuarine Water Quality

Anthropic processes degrade quality of estuarine environments, resulting in a worrying form of water pollution. The objective of the study was to describe and discuss interannual and seasonal changes of water quality based on indicators monitored in Goiana River estuary, as well as identifying the main drivers of such changes. We considered three estuarine areas or habitats (upper estuary, middle estuary and lower estuary), and two seasons (dry and rainy) for anchoring sample design. The information collected for surface and bottom water include water temperature (◦C), salinity, dissolved oxygen (mg L−1), saturation (%) and Secchi depth (cm) (n = 864). The monthly total rainfall (mm) was compiled from public database. Multivariate analyses highlight inter dependency among these parameters. Water quality was reduced in dry periods (including episodes of hypoxia), but generally increased toward the mouth of estuary. Rainfall is the most important factor in the renewal and maintenance waters of small tropical estuaries. Regions most sensitive to climate change where water resources are depleted and/or compromised should pay even more attention to upcoming changes in rainfall (seasonal) and climatic patterns in addition to better watermanagement practices.

Keywords: physico-chemical parameters, sample design, tropical estuaries, aquatic habitat conservation, hypoxia

Ano de Publicação: 2018

RELATÓRIO DO SEMINÁRIO DE PESQUISAS DA RESERVA EXTRATIVISTA ACAÚ-GOIANA

Durante todo o dia 22 e na manhã do dia 23, aconteceram às apresentações

dos trabalhos. Na tarde do dia 23, realizou-se dois exercícios, mapeamento dos

esforços de pesquisas na área da RESEX e levantamento das lacunas de

conhecimentos sobre a Unidade.

1. Sistema de autorização e informação em biodiversidade – SISBIO Elivan Arantes de Souza, RESEX Acaú-Goiana/ICMBio

2. Evolução sedimentológica e diagnóstico geoquímico (recente e histórico) do sistema estuarino Goiana-Megaó, litoral norte do Estado de Pernambuco Natália Gomes Alves de Souza, DGEO/UFPE

3. Estudo da atividade marisqueira da Resex Acau- Goiana PB/PE Fabiano Pimentel Ribeiro, CEPENE/ICMBio

4. Sobre as águas: um estudo sobre a tradição da pesca artesanal em três comunidades da RESEX Acaú-PB/Goiana-PE Gekbede Dantas Targino, IFPB

5. Avaliação de impactos decorrentes dos efluentes da carcinicultura no estuário do Rio Goiana Gilson Ferreira de Moura, DSE/UFPB

6. Educar para conservar: Educação ambiental para professores no município de Caaporã PB Júlia Nazário de Abreu Cavalcanti, Prefeitura Municipal de Caaporã

7. Avaliação do uso sustentável das pescarias de crustáceos e moluscos no ecossistema manguezal da Resex Acau-Goiana. Maria do Carmo Ferrão Santos, CEPENE/ICMBio

8. Ecologia, comportamento e conservação de macacos prego galego (Sapajus flavius) Ricardo Almeida Emidio, Doutorando PPg Ecologia, Co-lab Psicobiologia, UFRN 

9. Dinâmicas sociais e ecológicas em ambientes costeiros: interações e intervenções Tarcísio Quinamo, CGEA/FUNDAJ 

10. População, pesca artesanal e conflitos socioambientais em áreas costeiras no norte de Pernambuco e sul da Paraíba Tarcísio Quinamo, CGEA/FUNDAJ

11. Reservas extrativistas e territórios da pesca artesanal: O caso do litoral Pernambucano Pedro Castelo Branco Silveira, CGEA/FUNDAJ

12. Governança da pesca em Pernambuco Beatriz Mesquita, CGEA/FUNDAJ 

13. Negros na mata atlântica, estudo da comunidade quilombola de São Lourenço de Goiana Simone Resende da Silva, Programa Pós-Graduação em Geografia Física/DEGEO/FFLCH/USP

14. O uso de habitats estuarinos por aves limícolas migratórias ao longo da costa paraibana. Tiago Augusto Lima Cardoso, UAGRA/UFCG

15. Ecologia de Ecossistemas Aquáticos. Interação: Rio, Estuário e Mar Mario Barletta, LEGECE/ DOCEAN/UFPE

Ano de Publicação: 2012

RESEX ACAÚ-GOIANA: DA CRIAÇÃO À ATUAÇÃO ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DAS MARISQUEIRAS SOBRE A ATUAL CONJUNTURA DA RESERVA EXTRATIVISTA E A ATUAÇÃO DE SEU ÓRGÃO GESTOR - Dissertação de curso de especialização Curso de Pós-Graduação em Gestão Ambiental, FADIMAB, Goiana - PE

RESUMO

No século XX ocorreram grandes transformações mundiais com relação ao ambientalismo. Muitas áreas de preservação ambiental surgiram neste período (PEREIRA; SCARDUA, 2008). Nesse contexto, o Brasil passou a trabalhar no sentido de buscar se adequar a essas novas mudanças de nível mundial, instituindo no ano de 2000 o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza, que é constituído das unidades de conservação em âmbito federal, estadual e municipal. As Unidades de Conservação formam parte de um conjunto de instrumentos que a Política Nacional do Meio Ambiente adota para a gestão dos recursos naturais (FADIGAS, 2009). Dentre as várias categorias de unidades de conservação encontra-se a Reserva Extrativista (RESEX), que é uma área utilizada por populações extrativistas tradicionais, que tem como objetivo básico proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, e assegurar o uso sustentável dos recursos naturais da unidade (BRASIL, 2000). Na perspectiva de que unidades de conservação da categoria reserva extrativista possuem como um de seus princípios básicos a participação popular, as marisqueiras que vivem e trabalham na divisa entre Paraíba (PB) e Pernambuco (PE) iniciaram discussões a partir de 1999 sobre a necessidade de proteger os bancos de mariscos onde realizam a atividade da coleta (FADIGAS, 2009). De acordo com ARAÚJO (2001) e MORAES (2003), as mulheres por vezes à margem dos processos decisórios buscam cada vez mais a consagração dos seus direitos civis, políticos e sociais, ao mesmo tempo em que vem sendo reconhecido por contribuir com ações para a conservação do ambiente. Baseado nisso, as marisqueiras que tem na área estuarina dos rios Goiana e Megaó, na divisa entre os estados da Paraíba e de Pernambuco seu ambiente de trabalho, na possibilidade da escassez provocada pela degradação ambiental da área, foram as primeiras a sentir a necessidade de buscar uma solução no sentido de atuar de maneira eficaz na conservação desse ambiente. Diante de tudo, não é excessivo afirmar que as marisqueiras foram agentes fundamentais no processo participativo que culminou com a criação da Reserva Extrativista Acaú-Goiana, participação essa que continua extremamente atuante com a presença dessas atrizes sociais no Conselho Deliberativo da Unidade.

Palavras-chave: RESEX Acaú-Goiana, Marisqueiras, Unidades de Conservação.


ABSTRACT

In the twentieth century there were major changes with respect to global environmentalism . Many conservation areas emerged in this period ( PEREIRA; SCARDUA, 2008) . In this context , Brazil is now working to get fit these new changes worldwide , establishing in 2000 the National System of Conservation of Nature , which consists of conservation at the federal , state and municipal . Conservation Units form part of a set of instruments that the National Environmental Policy adopted for the management of natural resources ( FADIGAS , 2009) . Among the various categories of protected areas is the Extractive Reserve ( RESEX ) , which is an area used by traditional extractive populations , which aims to protect the basic livelihood and culture of these populations , and to ensure the sustainable use of resources natural unit ( BRAZIL , 2000) . From the perspective that conservancies category extractive reserves have as one of its basic principles to popular participation , the seafood that live and work on the border of Paraíba ( PB ) and Pernambuco ( PE ) began discussions from 1999 about the need to protect the banks of shellfish where they perform the activity of collection ( FADIGAS , 2009) . According to ARAÚJO (2001 ) and MORAES (2003 ) , women sometimes the margins of decision-making processes are increasingly turning to the consecration of their civil, political and social , while it has been recognized for contributing to actions environmental conservation . Based on this, the seafood that has the estuarine area of the rivers and Goiana and Megaó , on the border between the states of Paraíba and Pernambuco their work environment , the possibility of shortages caused by environmental degradation of the area were the first to feel the need to seek a solution in order to act effectively in the conservation of this environment . Before all , it is not exaggeration to say that the seafood restaurants were key actors in the participatory process that culminated in the creation of the Extractive Reserve Acaú - Goiana , this participation that remains extremely active in the presence of these social actresses in the Deliberative Council Unit .

Keywords : RESEX Acaú - Goiana, Seafood , Conservation Units .


Ano de Publicação: 2013