Biblioteca


        
 
Título
Categoria Tipo de publicação
Descrição Autores


Governança e Gestão estratégica: o caso do manejo do fogo no Parque Nacional da Serra da Bodoquena - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados do processo de organização territorial para ações de prevenção e combate a incêndios florestais na região da Serra da Bodoquena. A região é atingida anualmente por incêndios florestais que afetam suas áreas protegidas e zona rural. A inexistência de um Destacamento de Corpo de Bombeiros na região e a falta de políticas públicas municipais de prevenção aos Incêndios florestais torna a situação bastante crítica. Diante do exposto, vimos a necessidade de pensar um modelo de gestão para resultados que seja dinâmico, e consiga ser gerido e mensurado a partir de processos claros e participativos de implementação. Um modelo que possibilite monitorar, avaliar e incorporar informações sobre o desempenho nos processos decisórios, tanto internos quanto externos ao ICMBio. Um processo de gestão territorial baseando-se em um conceito amplo de resultados que considere o alinhamento das ações e englobem todos os stakeholders importantes para efetividade da estratégia. Palavras chaves: Incêndios Florestais, Gestão territorial, Gestão estratégica

Ano de Publicação: 2020

Contribuições ao Mapeamento e Melhoria do Subprocesso de Valoração econômica, integrante do Processo de Anuência para a Autorização de Supressão de Vegetação no interior de Unidades de Conservação Federais - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados da aplicação de questionário estruturado e de ferramentas de modelagem de processo (AS-IS e TO-BE), visando a identificação de oportunidades de melhorias no subprocesso de valoração econômica, integrante do processo de anuência para a autorização de supressão de vegetação (ASV), no interior de unidades de conservação (UC) federais, no contexto do licenciamento ambiental de empreendimentos que as afetam, quando previstos na legislação e no Plano de Manejo. As ferramentas utilizadas se mostraram bastante úteis na identificação de gargalos, lacunas e interações humanas e externas desnecessárias na condução do processo, bem como de etapas e procedimentos em que a metodologia encontra-se consolidada. A partir dos resultados do questionário e do mapeamento AS-IS, foi realizada a construção coletiva com a equipe técnica da Coordenação Geral de Avaliação de Impactos - CGIMP, de um nova modelagem (TOBE) e de uma proposta de manualização do subprocesso (TO-DO), na forma da inclusão das etapas e procedimentos detalhados, na foram de anexos da Instrução Normativa ICMBio nº 01/2018. A manualização do subprocesso de valoração econômica da vegetação, incluindo melhorias procedimentais que permitirão maior rigor na cobrança dos produtos madeireiros e não madeireiros, mostrou-se potencial para o aumento da arrecadação do ICMBio, podendo contribuir também para a conservação da vegetação em UC afetadas, nos casos em que a valoração configure impedimento econômico à supressão da vegetação, além de permitir maior celeridade e reduzir o nível de subjetividade das análises técnicas do processo de ASV. Palavras chaves: valoração econômica; mapeamento de processos; unidade de conservação; supressão de vegetação; produtos madeireiros e não madeireiros.

Ano de Publicação: 2020

Planejamento Anual do ICMBio Alcatrazes da Priorização de Atividades aos Aspectos Comportamentais da Gestão - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados de uma atuação prática de facilitação interna para realização do planejamemento anual do ICMBio Alcatrazes, da priorização de atividades aos seus aspectos comportamentais da gestão, buscando analisar a contribuição das habilidades técnicas e relacionais na rotina da unidade. O ICMBio Alcatrazes é composto pela Estação Ecológica Tupinambás e Refúgio de Vida Silvestre do Arquipélago de Alcatrazes. Foi planejado e é gerido numa perspectiva territorial, com as atividades de gestão desempenhadas por áreas temáticas, estabelecidas conforme as necessidade e prioridades de gestão para o terrítorio das unidades de conservação, elencadas durante o processo de planejamento participativo em conjunto com os Conselhos das unidades e atores chave. O plano de manejo unificado das unidades foi publicado em 2017, orientado em conceitos do manejo adaptativo, e traz os resultados esperados e as principais atividades das áreas temáticas, porem sem estabelecer indicadores para as atividades. A equipe do ICMBio Alcatrazes desde então elabora relatórios anuais de gestão para acompanhamento da execução das atividades da unidade. O planejamento para o ano de 2020 foi realizado com a equipe em uma oficina para análise e discussão das atividades realizadas no ano 2019, buscando avaliar a aderencia das atividades executadas aos resultados esperados para a gestão estabelecidos no plano de manejo, as metas globais institucionais e as prioridades elencadas pela equipe para o ano de 2020. Os desafios de relacionamento foram levantados na tentativa de sensibilizar a equipe para a necessidade de incorporar o tema na rotina de gestão da unidade. Palavras chaves: Esec Tupinambás, Refúgio de Alcatrazes, Manejo Adaptativo, Planejamento de Unidades de Conservação, Soft Skills.

Ano de Publicação: 2020

PROGRAMA DE GESTÃO PARA RESULTADOS NO PARQUE NACIONAL DO ITATIAIA: UMA EXPERIÊNCIA PRÁTICA - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados de uma atuação prática de implementação de uma metodologia de gestão para resultados no Parque Nacional do Itatiaia. Através de reuniões gerais e setoriais de equipe e posterior compilação e análise das informações foi realizada uma monitoria das ações previstas no plano de manejo, uniformizada a classificação das ações para a nomenclatura atual das Áreas Temáticas, revisados os principais elementos do planejamento estratégico (Missão, Visão e objetivos por Área Temática) e desdobramento dos objetivos em planos de ação. Na análise do planejamento do parque com relação às metas institucionais verificou-se uma relativa coerência. Verificou-se também a falta de relação entre as metas planejadas e o instrumento de avaliação da efetividade de gestão das Unidades de Conservação, o SAMGE. Também foi acordada com a equipe uma rotina de acompanhamento do planejamento com reuniões mensais por área temática e reuniões gerais a cada 4 meses. Palavras chaves: Parque Nacional do Itatiaia, ICMBio, Planejamento, Gestão para Resultados, PGR, SAMGE.

Ano de Publicação: 2020

TRAVESSIA DOS LENÇÓIS: DIAGNÓSTICO PARA ORDENAMENTO DO ATRATIVO - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados de uma atuação prática de facilitação para a realização do diagnóstico do atrativo Travessia realizado no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, contribuindo para o ordenamento e fortalecimento do atrativo aliado a conservação dos recursos naturais da unidade de conservação e geração de renda para as comunidades tradicionais. Foram realizadas oficinas, entrevistas e pesquisa com os diferentes stakeholders envolvidos no projeto. Posteriormente foram utilizadas ferramentas de mapeamento de processos, design thinking e aprendizado para processamento das informações levantadas e proposição de possíveis melhorias. Palavras chaves: uso público, travessia, Lençóis Maranhenses, diagnóstico, mapeamento de processos, design thinking, colaboração

Ano de Publicação: 2020

APLICAÇÃO INTEGRADA DO IAGE E DO MAPEAMENTO DE PROCESSOS E DAÍ, O QUE APRENDEMOS? - TAF do curso PGR6

RESUMO O presente trabalho procurou abordar o tema do desenvolvimento de equipes e da melhoria de processos de maneira integrada, partindo da aplicação e análise conjunta entre duas ferramentas de gestão: o IAGE – Instrumento de Avaliação da Gestão, e o Mapeamento de Processos. O IAGE foi aplicado tendo como campo de estudo a DGPEA – Divisão de Gestão Participativa e Educação Ambiental, subordinada à CGSAM – Coordenação Geral de Gestão Socioambiental, vinculadas à Diretoria de Ações Socioambientais e Consolidação Territorial – DISAT do ICMBio. Já o Mapeamento foi direcionado ao fluxo do processo de criação e modificação de conselhos de unidades de conservação. O trabalho colheu reflexões e análises da equipe da Divisão. Ao mesmo tempo, buscou ampliar o seu olhar, a partir da participação proativa das lideranças dos setores envolvidos, para que a CGSAM também se beneficiasse das oportunidades advindas deste trabalho. Tanto o IAGE como o Mapeamento de processos permitiram observações convergentes quanto a gargalos ou fragilidades de gestão nas áreas estudadas. Tais observações demonstram a relevância dos processos de planejamento institucional e setorial continuados e dão destaque para os avanços alcançados em processos como o voluntariado, em termos de gestão de informação, comunicação interna e externa e diálogo com públicos-alvo. Entre os avanços necessários e que demandarão ações de gestão apontadas nas conclusões do trabalho, o mapeamento e desenvolvimento das competências nas equipes, o trabalho integrado e cooperado, o maior detalhamento do mapeamento de modo a explicitar etapas críticas dos processos e o papel central da CGSAM na gestão do conhecimento de todas as suas coordenações, são algumas das propostas indicadas neste TAF para promover o aperfeiçoamento da gestão aliado ao desenvolvimento das equipes da DGPEA e CGSAM. Palavras chaves: IAGE, Mapeamento de Processos, Conselhos Gestores de UC, Desenvolvimento de Equipes.

Ano de Publicação: 2020

Proposição de melhorias ao processo de implementação do Núcleo de Conciliação Ambiental (NUCAM) na administração pública federal - TAF do curso PGR6

RESUMO A presente pesquisa apresenta resultados da aplicação da abordagem conceitual e metodológica da Gestão por Processos para compreender e identificar oportunidades de melhoria no processo de implementação do Núcleo de Conciliação Ambiental (NUCAM) na estrutura organizacional dos órgãos ambientais federais autuantes (IBAMA e ICMBio). Trata-se de uma nova instância dentro do processo administrativo federal de apuração de infrações administrativas por condutas e atividades lesivas ao meio ambiente ambientais, em vigor desde 08 de outubro de 2019. O total de 30 servidores, sendo 29 membros das equipes ECACs/NUCAM participaram da pesquisa por meio de formulários eletrônicos. Dessa forma foram levantadas informações e percepções que possibilitaram a caracterização do processo, suas principais dificuldades e desafios. Por meio da abordagem de análise in-process foram identificados gatilhos para melhoria desse processo. As melhorias propostas são principalmente em relação a padronização de processos e procedimentos, melhorias na estrutura organizacional e nas estratégias de gestão, por exemplo, maior alinhamento e integração das coordenações de ambos institutos na condução do NUCAM. O referencial teórico se expandiu com considerações e reflexões sobre gestão da mudança, desafios da implementação de políticas públicas e a importância dos processos de aprendizagem organizacional e em equipe no contexto desafiador de buscar as mudanças gerenciais capazes de tornar a administração pública mais eficiente. Também buscou-se esclarecer qual contexto e quais necessidades de mudanças no processo no qual o NUCAM foi instituído, com base no Relatório de Avaliação da CGU (2019) sobre o processo sancionador do IBAMA. Uma comparação em termos de estrutura e volume de autuações do Programa de Conciliação Ambiental do Estado de São Paulo, iniciado em 2014, com o NUCAM traz considerações importantes para o (re)dimensionamento das equipes do NUCAM. Com base na IN conjunta MMA IBAMA ICMBio nº02/2020, publicada em 30/01/2020, foi realizada a modelagem TO-BE dos fluxos da conciliação ambiental (Apêndice A) que esclarecem o funcionamento previsto para as atividades da conciliação ambiental. Dentre as conclusões destaca-se que ICMBio e IBAMA precisam investir em mais treinamentos para servidores do NUCAM, esse trabalho apresenta de forma objetiva quais são as demandas por capacitação dos membros das ECACs. Palavras chaves: Conciliação ambiental; NUCAM; Gestão por processos; Modelagem; Gestão da mudança;

Ano de Publicação: 2020

Gestão do Programa Ararinha na Natureza - TAF do curso PGR6

RESUMO Os Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade estão envolvidos na execução de projetos de conservação da fauna e da flora, especialmente importantes para a implementação de Planos de Ação Nacionais para a conservação da biodiversidade. Um dos projetos com maior visibilidade é o Projeto Ararinha na Natureza em curso desde 2012. A gestão de projetos envolve diferentes ferramentas para engajar a equipe, com objetivo de apresentar as entregas dentro do prazo e com custo reduzido (eficiência). Além disso, no mundo complexo atual em que a mudança é a regra, o valor agregado do produto e a qualidade, respeitando as restrições, se tornam cada vez mais importantes, num contexto em que a eficácia é mais importante que a eficiência. Neste sentido, foram selecionados modelos e softwares para a gestão dos projetos incluídos no agora denominado Programa Ararinha na Natureza. Este programa foi dividido em seis projetos para serem executados em dois anos (2019- 2021), com objetivo final de recuperar uma espécie considerada provavelmente extinta na natureza. O modelo de gestão adotado foi tradicional, utilizando algumas abordagens da gestão ágil de projetos, especialmente no que concerne entregar produtos de valor para o cliente, sem a necessidade de gerar planejamentos extensos e documentação excessiva. Os softwares Planner, Meister Task, bitrix 24, WBS Schelude Pro e Excel foram testados, assim como os métodos Canvas de Projeto, brainstorm e Crawford Slip. As ferramentas Planner e bitrix 24 foram eleitas para a gestão de tarefas e projetos. O modelo de gestão a ser escolhido é dependente das características do projeto, entretanto ferramentas de comunicação entre a equipe, sponsor e stakeholders são imprescindíveis. Para migrar de um modelo tradicional para um modelo ágil de gestão ainda é necessário amadurecer a equipe para se tornar altamente colaborativa e comunicativa. Assim, os projetos e programas geridos pelos Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação podem obter maior sucesso na gestão. Palavras chaves: bitrix 24, Canvas, Planner, PM Visual

Ano de Publicação: 2020

Mapeamento do processo de gestão de frota e equipamentos no Parque Nacional Mapinguari - TAF do curso PGR6

RESUMO Este trabalho apresenta os resultados de uma atuação prática de facilitação interna para o desenvolvimento de ações administrativas de gestão de frota realizada no Parque Nacional Mapinguari, unidade de conservação de proteção integral com 1.796.914 hectares, que abrange os Muncípios de Lábrea e Canutama no estado do Amazonas, e Porto Velho, no Estado de Rondônia. A intervenção tem o objetivo de contribuir com alcançe de eficiência dos resultados das atividades finalistivas da Unidade. Foi realizada oficina com os gestores e colaboradores da UC, e assim foi mapeado os fluxos da gestão de frota, desde o seu recebimento até o procedimento de desfazimento do benm. Com a utilização das técnicas de mapeamento e melhorias de processo, resultados do Curso de Progama de Gestão de Resultados 6, com base na teoria Business Process Management – BPM e a utilzação do software Bizage Modeler, versão 3.6.0.044, foi possível a equipe identificar todo o fluxo de processo da gestão de frota. Após a etapa do mapeamento deste processo estratégico para a gestão da UC, será implantado as melhorias apresentas com da modelagem no gerenciamento do processo, com os novos fluxos estabelecidos e os requisitos validados pela equipe da UC, que promoverá a eficiência da gestão do processo. Assim, será possível a execução das atividades planejadas, que contribuirão na implementação do Parque Nacional Mapinguari, bem como o controle e redução de custos na manutenção e utilização do veículos. Palavras chaves: gestão de frotas, fluxos de procedimentos, modelagem de processos, Business Process Management – BPM, etc.

Ano de Publicação: 2020

ÁREAS PROTEGIDAS NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: ATIVIDADES ILEGAIS, EFICIÊNCIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO LOCAL - Tese de Doutorado

RESUMO
Emed Kauano, Erico. Áreas protegidas na Amazônia brasileira: atividades ilegais, eficiência de gestão e desenvolvimento local. Macapá, 2018. Tese (Doutorado em Biodiversidade Tropical) – Programa de Pós-graduação em Biodiversidade Tropical - Universidade Federal do Amapá.
A estratégia global de estabelecimento de Áreas Protegidas (APs) para a conservação da biodiversidade tem obtido sucesso, mas apesar dos avanços em relação ao aumento do número de áreas protegidas, muito esforço ainda deve ser realizado. A simples criação de um território especialmente protegido não é o suficiente para cessar os processos e atividades antrópicas que afetam negativamente o meio ambiente. O Brasil abriga 70% da Amazônia, a maior floresta tropical do mundo. Nas últimas três décadas, o governo brasileiro implementou uma grande rede de APs que atualmente cobre cerca de 48% da região. As APs da Amazônia brasileira protegem a biodiversidade do país, mantêm a subsistência dos povos indígenas e comunidades locais e fornecem serviços ecossistêmicos como regulação da qualidade do ar e da água, estabilização do solo, prevenção de enchentes e regulação do clima. No entanto, apesar da importância e dos avanços positivos no estabelecimento de APs, o uso ilegal dos recursos naturais na Amazônia brasileira ainda é generalizado, além do estigma de que a expansão de APs em toda a região dificulta o desenvolvimento econômico local. Neste sentido, o presente trabalho busca avaliar a relação entre o uso ilegal de recursos naturais dentro de APs com o tipo de manejo, idade das APs, densidade populacional e acessibilidade; avaliar a relação entre a eficiência de gestão de APs e a redução de duas grandes ameaças à biodiversidade: desmatamento (medida pela perda cumulativa de habitat dentro das APs) e a intensidade das atividades ilegais (medida por registros de infrações ambientais gerados por multas de fiscalização dentro de APs); e avaliar a relação entre o crescimento econômico local e a cobertura de APs em 516 municípios da Amazônia brasileira no periodo de 2004 a 2014.
Palavras-chave: Áreas Protegidas; Atividades Ilegais; Efetividade de Gestão; Crescimento Econômico; Amazônia Brasileira.

ABSTRACT
Emed Kauano, Erico. Protected areas in the Brazilian Amazon: illegal activities, management effectiveness and local development. Macapá, 2018. Thesis (PhD in Tropical Biodiversity) – Postgraduate Program in Tropical Biodiversity - Federal University of Amapá.
The global strategy for the establishment of Protected Areas (PAs) for biodiversity conservation has been successful, but despite advances in increasing the number of protected areas, much work remains to be done. The simple creation of a specially protected territory is not enough to cease anthropic processes and activities that negatively affect the environment. Brazil is home to 70% of the Amazon, the largest rainforest in the world. Over the last three decades, the Brazilian government has implemented a large network of PAs that currently covers about 48% of the region. PAs in the Brazilian Amazon protect the country's biodiversity, maintain the livelihoods of indigenous peoples and local communities, and provide ecosystem services such as air and water quality regulation, soil stabilization, flood prevention, and climate regulation. However, despite the importance and positive advances in the establishment of PAs, the illegal use of natural resources in the Brazilian Amazon is still widespread, in addition to the stigma that the expansion of PAs throughout the region hampers local economic development. In this sense, the present work seeks to evaluate the relationship between the illegal use of natural resources within PAs with the type of management, age of PAs, population density and accessibility; to assess the relationship between PAs management efficiency and the reduction of two major threats to biodiversity: deforestation (as measured by cumulative habitat loss within PAs) and the intensity of illegal activities (measured by records of environmental infractions generated by monitoring fines within PAs); and to evaluate the relationship between local economic growth and PAs coverage in 516 Brazilian Amazonian municipalities from 2004 to 2014.
Keywords: Protected Areas; Illegal Activities; Management Effectiveness; Economic growth; Brazilian Amazon

Ano de Publicação: 2018