Biblioteca


        
 
Título
Categoria Tipo de publicação
Descrição Autores


CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE E MODOS DE VIDA SUSTENTÁVEIS NAS LAGOAS DO SUL DO BRASIL: a experiência de um plano de ação com enfoque territorial

APRESENTAÇÃO

Gabriela Coelho-de-Souza

O livro ‘Conservação da biodiversidade e modos de vida sustentáveis nas lagoas do sul do Brasil’ é um convite ao leitor para adentrar na realidade de um território com uma larga trajetória ambiental e social, que abriga um conjunto expressivo de espécies nativas e histórias relacionadas às origens do povo que construiu sua identidade, convivendo com os ecossistemas marítimos, lacustres e lagunares nos biomas Mata Atlântica e Pampa. Como forma de valorizar esse entrelaçamento de territorialidades no sul do Brasil, o livro apresenta a experiência do primeiro Plano de Ação para espécies ameaçadas de extinção com enfoque territorial. Nesse território, que será apresentado na próxima seção, convivem ecossistemas nativos e antropizados com comunidades urbanas, incluindo uma capital e vários municípios rurais. Entre as comunidades rurais, destacam-se os pescadores artesanais, indígenas Guarani, comunidades remanescentes de quilombos e agricultores familiares, em especial imigrantes açorianos, alemães, poloneses, italianos e japoneses. Na atualidade, as atividades econômicas predominantes na região são o turismo, a geração de energia eólica, o extrativismo mineral de areia, argila e carvão, agricultura, pesca e aquicultura. Nessa região, além disso, destaca-se a produção de alimentos tradicionais, como farinhas de mandioca e rapaduras, a produção de cachaça, o manejo de produtos da sociobiodiversidade, como a juçara e o butiá, a produção de hortifruti, arroz e pecuária. Esse território apresenta uma extensa faixa litorânea que abriga grande parte dos veranistas dos estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, imprimindo um fluxo sazonal com o qual, no período de verão, a população triplica. Como descrito pelo Atlas da Bacia Hidrográfica do Rio Tramandaí (ONG ANAMA, 2013) e pelo Atlas Socioambiental dos municípios de Cidreira, Balneário Pinhal e Palmares (UCS, 2013), essa região, constituída por um colar de lagoas, caracteriza-se por grande diversidade de ecossistemas e alta importância biológica embora apresente extrema fragilidade ambiental. Os ecossistemas das lagoas, dos banhados, dunas, campos, restingas e florestas têm sido convertidos e ou degradados, o que coloca as espécies nativas em diferentes graus de ameaça de extinção. Ao mesmo tempo, esses ecossistemas e sua biodiversidade, característicos da região costeira do sul do Brasil, são responsáveis pela produção de serviços ecossistêmicos importantes regional e globalmente, como o abastecimento de água, a produção de alimentos e de espécies úteis, a conservação dos solos, a regulação hídrica e climática, entre outras.

Ano de Publicação: 2020

DIAGNÓSTICO PARTICIPATIVO NO PLANEJAMENTO E ORDENAMENTO TERRITORIAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: O CASO DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DO TAIM - Dissertação de Mestrado pela FURG

RESUMO

A Estação Ecológica do Taim é uma Unidade de Conservação localizada na porção Sul da Planície Costeira do Rio Grande do Sul, entre as Lagoas Mirim e o Oceano Atlântico, e abrange parte dos municípios do Rio Grande e de Santa Vitória do Palmar - RS e a ilha do Taquari localizada na Lagoa Mirim na divisa do Brasil com o Uruguai. Embora reconhecida como importante área de preservação ambiental dotada de fauna e flora exuberantes, abrigando espécies ameaçadas de extinção e com mais de 29 anos de sua criação, a unidade ainda carece de plano de manejo e de ordenamento territorial. O presente estudo demonstrou a complexidade e os desafios que envolvem o planejamento desta área protegida, frente ao crescimento econômico da região. Imersa em uma matriz de atividades produtivas e culturais com relação ao uso dos recursos naturais e às distintas formas de apropriação do uso do solo, foi necessário buscar novas abordagens e instrumentos para coleta e tratamento de dados, incluindo a participação da sociedade no planejamento da unidade. Desta forma, foi aplicado um diagnóstico participativo como mecanismo para ampliar o conhecimento de uma realidade complexa sobre a população local e a comunidade científica, e seu envolvimento com o meio onde está inserida a Estação Ecológica do Taim. O envolvimento com a população local e com a comunidade científica, ao exporem seus conhecimentos e suas percepções diferenciadas em relação aos recursos naturais e ao território, contribuíram com informações fundamentais ao planejamento da unidade. As informações obtidas por meio do diagnóstico participativo, espacializadas e interpretadas, juntamente com dados físicos, biológicos e antrópicos em Sistema de Informação Geográfica, permitiram caracterizar no território ameaças e oportunidades à conservação na área da unidade. Tal investigação tornou possível o enquadramento de algumas áreas em uma proposta de zoneamento e a identificação de ações de manejo para esta unidade de conservação de forma a subsidiar o planejamento e o ordenamento territorial para a ESEC do Taim.

Palavras Chave: Diagnóstico participativo, Planejamento territorial, Unidades de Conservação.


ABSTRACT

The Taim Ecological Station is a protected area located in the southern portion of the coastal plain of Rio Grande do Sul, between Mirim Lakes and the Atlantic Ocean and covers the municipalities of Rio Grande and Santa Vitória do Palmar RS and the island of Taquari located in Lagoa Mirim on the border between Brazil and Uruguay. Although recognized as an important area of environmental preservation endowed with lush flora and fauna, sheltering endangered species and over 29 years of its inception, the unit still lacks management plan and land use planning. This study demonstrated the complexity and challenges involving the planning of this protected area facing the region's economic growth. Immersed in an array of productive and cultural activities regarding the use of natural resources and the different forms of land use appropriation it was necessary to seek new approaches and tools for collecting and processing data including the participation of society in planning the unit. Thus a participatory diagnosis was used as a mechanism to increase the knowledge of a complex reality on the local population and the scientific community and his involvement with the environment where it operates the Taim Ecological Station. Involvement with the local population and with the scientific community to expose their knowledge and their different perceptions of the natural resources and territory contributed fundamental information to the planning unit. Information obtained through spatialized participatory diagnosis and interpreted along with physical, biological and anthropogenic data in Geographic Information System allowed to characterize the territory threats and opportunities in the conservation area of the unit. This research made possible the framework of some areas in a proposal for zoning and identification of management actions for this protected area in order to support the planning and land use planning for ESEC Taim.

Keywords: participatory diagnosis, territorial planning, protected areas

Ano de Publicação: 2015

A CAPACITAÇÃO VERDE PARA MONETIZAR ÁREAS ESPECIALMENTES PROTEGIDAS : exposição exploratória - TCC especialização pelo SENAC

RESUMO

Oferecer uma reflexão para a ampliação da grade acadêmicada ACADEBio, através da proposta de uma nova alternativa de sustentabilidade financeira para proteção e conservação de áreas especialmentes protegidas, através doprocesso de capacitação verde para monetizar uma área especialmente protegida, e ao mesmo tempo,visandoagregar o aumento no valor ambiental econômico sobre os serviços ambientais prestados à sociedade gratuitamenteerealizadosde forma interagidas entre o ambientes florestasterrestres e marinhos, hídricoscontinentais e marinhos, num processo de interações de alta complexidade entre as espécies que possuem as mais variedades formaçõesbiológicas esociais estruturantes que geram os mais variados benefíciospara a existência de todos as espécies que residem de forma transitória neste pequeno ambiente conhecido como ‘Planeta Terra”. O que cria a necessidade em termos a capacidade de explorar novas alternativas contributiva para o aprimoramento da grade acadêmica ofertada pela Academia Nacional de Biodiversidade –ACADEBio, que possam dar a oportunidade a sociedade de verem e entenderem com novos osvíeisas importância dosativosfinanceiros ambientais dentro de uma outra ótica através daeconomia verde.O ICMBiotema seu favor o reconhecimento pela sociedade como uma importante ferramenta institucional na garantia da qualidade socioeconômica desta e futuras gerações. Em respeito a este reconhecimentotão valioso para nós, devemos ficar inerte na criação de novos mecanismo contribuidores e complementadoras para a sociedade, que já conhece uma parcela dos benefícios ambientais das“belezas cênicas”. Esta exposição exploratória visa direcionar os olhares para novas formas de monetização valorativas, que não são encontradas e divulgadas de forma mais compreensiva para a sociedadeno seu balanço de gestão. Esta exposição explorativa foi construída através deum “novo”olhar sistémico e holístico nas relaçõestransversais do meio ambiente e o financeiro através dos levantamentos pela internet em razão da necessidade de se atender as normas sanitárias de isolamento social combuscas em revistasdigitais, sites, blogs e outros. O conjunto do conhecimento capturado resultou nesta entrega.“A Capacitação verde para monetizar áreas especialmentes protegidas”onde se busca a potencialidade da transversalidade entre a sua função socio econômica verde e ambiental.

Palavras chaves: Capacitação Verde, Ativo verde, Economia verde, Contabilidade ambiental, Área especialmente protegida.


ABSTRACT
Offer a reflection for the expansion of the academicgrid of ACADEBIO, through the proposal of a new alternative of financial sustainability for protection and conservation of specially protected areas, through the process of green training to monetize a specially protected area, and at the same time, aiming add the increase in the economic environmental value on the environmental services provided to society free of charge and performed in an interacted way between the terrestrial and marine forests, continental and marine hydric environments, in a process of highly complex interactions between species that have the most varied biological formations and social structures that generate the most varied benefits for the existence of all species that live in a transitory way in this small environment known as 'Planet Earth'. What creates the need in terms of the ability to explore new contributory alternatives for the improvement of the academic grid offered by the National Academy of Biodiversity -ICMBio, which can give society the opportunity to see and understand with new the viable the importance of environmental financial assets from another perspective through the green economy. ICMBio favors recognition by society as an important institutional tool in guaranteeing the socioeconomic quality of this and future generations. In respect of this recognition that is so valuable to us, we must remain inert in the creation of new contributing and complementary mechanisms for society, which already knows a part of the environmental benefits of “scenic beauties”. Thisexploratory exhibition aims to direct the eyes to new forms of valuing monetization, which are not found and disseminated in a more comprehensive way to society in its management balance. This exploratory exhibition was built through a “new” systemic and holistic look at the transversal relations of the environment and the financial through surveys over the internet due to the need to meet the sanitary standards of social isolation with searches in digital magazines, websites, blogs and others. The body ofknowledge captured resulted in this delivery. “Green Training to monetize specially protected areas” where the potential for transversality between its green and environmental socio-economic function is sought.
Keywords: Training, Green, Green Asset, Green Economy, Environmental Accounting, Especially Protected Area

Ano de Publicação: 2021

BOAS PRÁTICAS EM INTERPRETAÇÃO EM ÁREAS PROTEGIDAS NO BRASIL E EM PORTUGAL: UMA PROPOSTA DE INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE EXPOSIÇÕES - Dissertação de Mestrado pela Universidade de Aveiro, Portugal

palavras-chave: interpretação ambiental, exposições, área protegida, unidade de conservação, turismo de natureza, ecoturismo.

Resumo

A visitação em áreas protegidas é considerada uma atividade capaz de agregar apoio social, econômico e político à conservação do patrimônio natural e cultural. Uma das estratégias de gestão de visitantes nesses espaços é a interpretação do patrimônio, ou interpretação ambiental, técnica de comunicação quetem por finalidade ampliar a compreensão do público sobre recursos e valores protegidos, sensibilizá-lo e torná-lo parceiro dessa proteção. Para o setor do turismo, ela é um elemento importante para satisfação do visitante e fundamental na cocriação da experiência, particularmente em atrativos naturais e culturais. Contudo, a qualidade dos produtos interpretativos depende da aplicação de princípios e boas práticas, tanto de interpretação quanto das áreas do conhecimento ligadas aos meios utilizados.A presente dissertação dedica-se à compreensão dos fatores que contribuem para a qualidade e a eficácia de exposições interpretativas instaladas em centros de visitantes em áreas protegidas, pelo papel central que desempenham na comunicação entre o público e asorganizações gestoras dessas áreas. Tendo como componente empírico o estudo de exposições instaladas no Parque Nacional de Itatiaia, no Brasil, e no Parque Natural da Serra da Estrela, em Portugal, este trabalho contribui para a redução da lacuna de estudos sobre interpretação em áreas protegidas nesses países, ao integrar a análise de documentos de planejamento das áreas protegidas, a perspectiva dos visitantes e a visão de agentes envolvidos no planejamento, na gestão e no uso dessas exposições.Como principais conclusões dessa investigação, destaca-se que os documentos de planejamento das áreas protegidas nos dois países preveem o uso da interpretação e que os técnicos atuantes nos parques analisados têm clareza sobre o potencial dessa estratégia para aqualidade da experiência do visitante e o aumento do conhecimento e da apreciação da área. Apesar disso, a análise das exposições mostrou que, embora sejam identificadas boas práticas referentes à organização, ambientação e atratividade dos elementos expositivos, os textos apresentados distanciam-se dos princípios da redação interpretativa. Como contributo prático, esta dissertação oferece um instrumento abrangente para avaliação de exposiçõesem diferentes estágios de desenvolvimento. Sua finalidade é apoiar os técnicos de áreas protegidas no planejamento, implantação eoperacionalização de espaços expositivos,de caráter interpretativo, mais eficazes.


keywords: interpretation, exhibits, protected areas, nature-based tourism, ecotourism.

Abstract

The visitation of protected areas is considered an activity capable of adding social, economic and political support to the conservation of natural and cultural heritage. A strategy for managing visitors in these spaces is heritage interpretation, or environmental interpretation, a communication technique that aims to broaden the public's understanding of protected resources and values, raise their awareness and make them partners in heritage protection. For the tourism sector, it is an important element for visitor satisfaction and a fundamental piece in co-creating the experience, particularly in natural and cultural attractions. However, the quality of interpretive products depends on the application of principles and good practices, both in interpretation and in the areas of knowledge linked to the means used.This dissertation is dedicated to understanding the factors that contribute to the quality and effectiveness of interpretive exhibitions installed in visitor centres in protected areas, due to the central role they play in the communication between the public and the management organizations of these areas. The empirical components of this study are the exhibitions installed in the National Park of Itatiaia, in Brazil, and in the Natural Park of Serra da Estrela, in Portugal. This work contributes to reducethe gap of studies on interpretation in protected areas in these countries, by integrating the analysis of planning documents for protected areas, the perspective of visitors and the view of personnel involved in the planning, management and use of these exhibitions.As the main conclusions of this investigation, it is highlighted that the planning documents for protected areas in both countries provide for the use of interpretation and that the technicians working in the analysed parks are clear about the potential of this strategy for the quality of the visitor experience and the increasing of knowledge and appreciation of the area. However, the analysis of the exhibitions showed that, although good practices regarding the organization, setting and attractiveness of the exhibition elements are identified, the texts presented are distant from the principles of interpretive writing. As a practical contribution, this dissertation offers a comprehensive instrument for evaluating exhibitions at different stages of development. Its purpose is to support technicians from protected areas in the planning, implementation and operationalization of more effective interpretive exhibition spaces.

Ano de Publicação: 2020

Uso de SIG no mapeamento dos atrativos turísticos do Parque Florestal Municipal do Morro do Espia, Iguape, SP - TCC especialização pelo SENAC

RESUMO

O objetivo deste trabalho foi mapear os atrativos turísticos do parque municipal florestal do Morro do Espia, na cidade de Iguape, litoral sul de São Paulo, através da aplicação de ferramentas de geoprocessamento. Foram levantadas e analisadas informações sobre a situação do parque municipal (status legal) conjuntamente com a localização dos atrativos turísticos, o estado de conservação da cobertura vegetal da área do morro do Espia, hidrografia, altimetria e estruturas urbanas e malha viária do local. Utilizou-se cartas topográficas georreferenciadas do IGC e IBGE e IPHAN para determinar a exata localização do morro do Espia e de sua área tombada, além de imagens orbitais da plataforma google satélite. Realizou-se levantamentos em campo para georreferenciar o circuito turístico (trilhas, mirantes, balneários e sítios arqueológicos) com o uso de GPS de navegação e do software GTM. Estes dados foram processados no software QGIS com o objetivo de gerar cinco mapas de apoio (perímetro da área tombada do parque municipal do morro do Espia, vegetação predominante, altimetria, hidrografia, malha viária e infraestruturas urbanas) e um mapa síntese, agregando todos estes elementos. O resultado deste estudo gerou um arquivo cartográfico georreferenciado do circuito completo dos atrativos turísticos do morro do Espia e informações georreferenciadas, hospedadas no projeto de mapeamento colaborativo da superfície terrestre Open Street Map - OSM. Além disso, o estudo produziu informações passíveis de serem utilizadas pelos órgãos gestores para subsidiar planejamento e manejo desta área protegida.

Palavras Chave: 1. Morro do Espia, 2. Parque Municipal, 3. Geoprocessamento, 4. Unidade de Conservação, 5. Atrativos Turísticos.


ABSTRACT

The objective of this work was to map the tourist attractions of the municipal forest park of Morro do Espia, in the city of Iguape, south coast of São Paulo, through the application of geoprocessing tools. Information on the situation of the municipal park (legal status) was collected and analyzed together with the location of tourist attractions, the conservation status of the vegetation cover of the Espia hill area, hydrography, altimetry and urban structures and the local road network. Georeferenced topographic maps from IGC and IBGE and IPHAN were used to determine the exact location of the Espia hill and its protected area, in addition to orbital images from the Google satellite platform. Field surveys were carried out to georeference the tourist circuit (trails, viewpoints, spas and archaeological sites) using GPS navigation and GTM software. These data were processed in the QGIS software with the objective of generating five support maps (perimeter of the protected area of the municipal park of Morro do Espia, predominant vegetation, altimetry, hydrography, road network and urban infrastructure) and a map, aggregating all these elements. The result of the study generated a georeferenced cartographic file of the complete circuit of the tourist attractions of Morro do Espia and georeferenced information, hosted in the Open Street Map - OSM collaborative mapping of the land surface. In addition, the study also produced information that could be used by management bodies for subsidiary planning and management of this protected area. Keywords: 1. Conservation Unit, 2. Geoprocessing, 3. Municipal Park, 4. Tourist attractions, 5. Morro do Espia.

Ano de Publicação: 2020

AVALIAÇÃO DA COMPENSAÇÃO AMBIENTAL FEDERAL: AS MUDANÇAS REALIZADAS A PARTIR DA EDIÇÃO DA LEI Nº 13.668, DE 2018 - Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública) - Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa

RESUMO
O presente trabalho concentra-se em avaliar a política de compensação ambiental -CA, na esfera federal, com foco no aprimoramento do mecanismo a partir das mudanças introduzidas pela Lei nº 13.668, de 2018, notadamente a implantação do Fundo de Compensação Ambiental -FCA. Para tanto, foi empregadametodologia qualitativa, incluindo a realização de pesquisa documental e entrevistas com os atores envolvidos no processo da CA, tendo como escopo de análise a implementação da política no âmbito dasunidades deconservação instituídas pela União. Como resultadoda pesquisa avaliativa, foram apresentadas diretrizes norteadoras para a operacionalização da compensação ambiental frente ao novo cenário normativo, bem como propostas de aprimoramento do mecanismo por meio do FCA.Palavras-chave: Compensação Ambiental; Unidades de Conservação; Avaliação de Políticas Públicas.

ABSTRACT
This study focuses on the assessment of the environmental compensation policy -CA, at the federal level, with a focus on improving the mechanism based on the changes introduced by Lawnº13,668, of 2018, notably the implementation of the Environmental Compensation Fund -FCA. To this end, qualitative methodology was used, including conducting documentary research and identified with the actors involved in the CA process, with the scope of analysis being the implementation of the policy within the scope of the conservation units instituted by the Union. As a result of the evaluative research, were guiding guidelines for the operationalization of environmental compensation in the face of the new normative scenario, as well as proposals for improving the mechanism through the FCA.Keywords: Environmental compensation; Conservation units; Public Policy Evaluation.

Ano de Publicação: 2020

Agroforestry extension and protected areas conservation in the Brazilian Amazon. Doctor of Philosophy (PhD) thesis, University of Kent,.

Ano de Publicação: 2016

Vegetation, climate and fire dynamics of Upper Montane Forest and Campos de Altitude during the Holocene in southeastern Brazil Dissertation For the award of the degree Doctor of Philosophy (Ph.D. Division of Mathematics and Natural Sciences) Of the Georg-August-University of Göttingen

Summary

The Atlantic Forest biome is well known as one of the mostly biodiversity regions on earth, hosting high species endemism and species/area ratio. It stretches around 1,300,000 km2 along the Brazilian coast between latitudes 3o and 33º S and longitudes 35o and 57º E. Due to the increase of human impact through the intensification of landuse and consequent broad landscape replacement along the centuries, only 10-15% of the Atlantic Forest biome remains in a natural or semi-natural state, being considered one of the most priority areas for conservation. It encompasses a wide variation of climates and geomorphologies, resulting in a complex mosaic of different ecosystems. Among them, the Araucaria forest, upper montane Atlantic rain forest (cloud forest) and the campos de altitude (high elevation grassland) occur on the Brazilian coastal highlands, which extends for about 1000 km parallel to the coastline from southern to southeastern Brazil. The Araucaria forest distribution is related to humid and relative cold climatic conditions, between 400 and 1400 m a.s.l. in southern Brazil and in smaller fragments at altitudes between 1400 and 1800 m a.s.l. in southeastern Brazil. Currently, it has been reduced to c. 7% of its original distribution. The upper montane Atlantic rain forest spread in the upper slopes of the Brazilian coastal highlands of southern and southeastern Brazil, normally above around 1100 m a.s.l. in the south and above around 1500 m a.s.l. in the southeast, mainly occupying the concavities and protected sites. The campos de altitude is a typical open vegetation, restricted to small areas on the summits of the higher peaks and plateaux. Palaeoecological studies demonstrated that, although the mosaic of these ecosystems has prevailed along the Holocene, the perpetuation of campos de altitude is very fragile. The grassland vegetation expands under colder and dry climate conditions and seems to be fire adapted suggesting that the current area of campos de altitude is larger than the modern climate alone would dictate, especially in warmer, lower elevation sites. Moreover, climate changes studies suggest a warmer and wetter climate during the 21st century which it is likely to intensify the upward movement of the Atlantic Forest at the expense of open ecosystems like the campos de altitude. In this research, the past and present relationship of the mosaic of campos de altitude and upper montane forests (Araucaria forest and upper montane Atlantic rain forest) are explored through palynological analyses. Foremost, the currently correlation between vegetation cover and pollen production was investigated. It was observed that arboreal taxa are over-represented in campos the altitude assemblage and that the campos de altitude pollen assemblage represents a much larger source area than the forest pollen assemblage, which is comprised of more local taxa. Afterwards, a record of the last almost 10,000 years was analysed. This study showed that, although upper montane forest taxa have been in the broader region of the study site throughout the Holocene, the forest vegetation has spread mostly in Late Holocene. Until around 1350 cal yr BP campos de altitude vegetation was much more widespread. Overall, the results demonstrated that increase in temperature and precipitation throughout the Holocene favoured the upward expansion of the forest. Furthermore, the research indicated that fire was presented before human arrival in southeastern Brazil, implying an adaptation of open vegetation to frequent fire. Latter, the dynamics of the vegetation on the last seven centuries was investigated. The outcomes revealed that anthropogenic disturbances such as fire, livestock grazing and logging have played a clear role in driving grassland-forest relationships in southeastern Brazilian highlands. Based on the outcomes of this research, the maintenance of the mosaic of forestgrassland in the current and projected climate trends depends on an active disturbance management and a changed in conservation focus from forest to non-forest habitats.


Resumo

O bioma Mata Atlântica é mundialmente reconhecido como uma das regiões de maior diversidade biológica do planeta, abrigando elevada riqueza de espécies e um elevado número de espécies endêmicas, se estendendo por cerca de 1.300.000 km2 ao longo da costa brasileira, entre as latitudes 3o e 33o S e longitudes 35o e 57o L. Como resultado do incremento das atividades humanas de uso da terra e, consequentemente, de ampla modificação da paisagem ao longo dos séculos, cerca de apenas 10-15% do bioma Mata Atlântica ainda se encontra em estado natural ou próximo ao natural, sendo considerados áreas prioritárias para conservação. Devido à grande variedade climática e geomorfológica, o bioma Mata Atlântica é um complexo mosaico de diferentes ecossistemas. Dentre estes, a floresta com Araucária (Floresta Ombrófila Mista), a floresta nebular (Floresta Ombrófila Densa Altomontana) e os campos de altitude ocupam as médias e altas altitudes da Serra do Mar, que se estende por cerca de 1000 km paralela à costa, do sul ao sudeste brasileiro. A distribuição da floresta com Araucária está relacionada ao clima úmido e relativamente frio, entre 400 e 1400 m s.n.m. no sul do Brasil e em fragmentos menores entre as altitudes de 1400 a 1800 m s.n.m. no Sudeste. Atualmente, está reduzida a não mais do que 7% da sua distribuição original. A floresta nebular se estende nas encostas do alto da Serra do mar, normalmente acima de 1100 m s.n.m. no Sul e acima de 1500 m s.n.m. no sudeste do Brasil, nos pequenos vales e sítios protegidos. Os campos de altitude são uma vegetação tipicamente herbácea, restrita aos cumes e picos da serra e aos platôs mais elevados. Estudos paleoecológicos demonstraram que, apesar deste mosaico de ecossistemas ter persistido durante o Holoceno, a perpetuação dos campos de altitude é muito frágil. Como a vegetação campestre se expande em condições climáticas mais frias e secas e parece ser adaptada ao fogo, sugere-se que a presente área de campos de altitude é maior do que esperada sobre as condições climáticas atuais, especialmente em locais mais quentes em altitudes mais baixas. Além disso, estudos de mudanças climáticas preveem um clima mais quente e úmido durante o século 21, que provavelmente irá intensificar a migração da floresta atlântica para maiores altitudes, em detrimento da vegetação campestre. Nesta pesquisa, as relações passadas e presentes do mosaico de campos de altitude e florestas altomontanas (floresta com Araucária e floresta Atlântica nebular) são exploradas por meio de análises palinológicas. Inicialmente, foi investigada a correlação atual entre cobertura vegetal e produção de pólen. Observou-se que os taxa arbóreos são superestimados no conjunto de pólen de campos de altitude, constituindo uma área muito maior de captação de pólen do que no conjunto de pólen arbóreos. Sendo assim, o conjunto de pólen que caracteriza a vegetação de campos de altitude apresenta uma grande proporção de taxa de vegetação arbórea. Posteriormente, um sedimento de quase 10.000 anos foi analisado, demonstrando que, apesar dos taxa representantes da floresta altomontana estarem presentes na região de estudo durante todo o Holoceno, a vegetação florestal expandiu majoritariamente durante o Holoceno Tardio. Até cerca de 1350 cal a AP, a vegetação de campos de altitude ocupava áreas mais extensas. Em geral, os resultados demonstraram que o aumento de temperatura e precipitação ao longo do Holoceno favoreceram a migração da floresta para altitudes mais elevadas. Além disso, a pesquisa indicou que o fogo já estava presente na região antes da chegada dos primeiros humanos no Sudeste do Brasil, implicando na adaptação da vegetação campestre ao fogo. Por último analisou-se a dinâmica da vegetação nos últimos sete séculos. Os resultados indicaram que interferências antropogênicas como fogo, pastoreio e exploração madeireira desempenharam um importante papel na relação campos-floresta na Serra do Mar do Sudeste do Brasil. Com base nestes estudos, sugere-se que a manutenção do mosaico de campos de altitude e floresta no clima presente e futuro depende tanto de um manejo ativo quanto da mudança de foco da conservação de ambientes florestais para ambientes campestres.

Ano de Publicação: 2019

Risco e Ordenamento de Áreas Protegidas: Floresta Nacional de Ipanema e Parque Natural do Alvão - Tese de Doutorado pela Universidade de Lisboa / Univ. De Aveiro - Portugal

RESUMO

Com base nas premissas de que os instrumentos de gestão e de ordenamento territorial de diferentes escalas não abordam adequadamente o risco e de que análises mais aprofundadas de avaliação do risco deveriam ser incorporadas nos planos de manejo e de ordenamento de áreas protegidas para que os objetivos de proteção e de conservação sejam atingidos, este trabalho analisa a abordagem ao risco nos instrumentos de ordenamento e de apoio à gestão de duas áreas protegidas (AP): a Floresta Nacional de Ipanema, no Brasil, e o Parque Natural do Alvão, em Portugal. Apesar de se inserirem em políticas de ordenamento territorial, os Planos de Manejo (PM), no Brasil, e Planos de Ordenamento de Áreas Protegidas (POAP), em Portugal, relacionam-se direta e indiretamente com outras políticas (de desenvolvimento regional, ambientais, agrícolas etc.). Os PM e os POAP atuam em espaços geográficos definidos e gerenciados, permeados por uma rede sociopolítica complexa. Esses instrumentos de ordenamento devem levar em consideração as políticas, programas e planos territoriais e setoriais dos diferentes níveis (nacional, regionais e locais), verificando se esses planos afetam de maneira positiva ou negativa a gestão dessas áreas e buscando formas de compatibilizálos com seus objetivos (Esteves, 2015). Ao mesmo tempo, os planos de ordenamento territorial devem observar a presença de áreas protegidas e levar em conta os seus planos de gestão (Phillips, 2002). A primeira metade desta tese é dedicada a analisar se os planos e políticas se integram e se esses instrumentos abordam a gestão do risco às áreas protegidas. Em estágio seguinte, após a definição de metodologias de apoio, este trabalho propõe um modelo de análise do risco e de elaboração de cartografia de risco de incêndio florestal para a Floresta Nacional de Ipanema e o Parque Natural do Alvão, tendo como base principal os planos de manejo e de ordenamento dessas áreas. Os incêndios florestais em áreas protegidas interferem na conservação desses territórios e originam outras ameaças, como a fragmentação florestal e a perda de biodiversidade. As relações entre as ameaças às duas áreas protegidas foram identificadas e analisadas integradamente, com base nos planos de manejo e de ordenamento, em publicações científicas, em relatórios de oficinas participativas e em entrevistas com gestores e técnicos, o que possibilitou estabelecer uma rede de ameaças e suas origens. Em seguida, foi mapeada para cada AP a localização das ameaças internas e externas e seus graus de influência, gerando cartas de criticidade que puderam, então, ser cruzadas com as cartas de capacidade de suporte, de perigosidade e de valor, para a criação das cartas de risco de incêndio florestal. A partir delas, foram elaboradas, também, cartas de risco de fragmentação florestal das áreas estudadas, revelando os setores prioritários para intervenções de proteção e de conservação. Com a possibilidade da aplicação da metodologia de avaliação de risco de incêndio florestal proposta por este trabalho em outras AP do Brasil e de Portugal, esta tese se configura como uma ferramenta de apoio na execução de políticas públicas voltadas à gestão de áreas protegidas.

Palavras-chave: risco; áreas protegidas; cartografia de risco; políticas públicas


ABSTRACT

Based on the assumptions that management and spatial planning tools, in different scales, do not adequately deal with risks, and more in-depth risk assessment should be incorporated into the management plans of protected areas, this work analyzes the inclusion of risk and its approaches within the planning and management instruments of two protected areas: the Ipanema National Forest (Brazil) and the Alvão Natural Park (Portugal). Despite being part of territorial planning policies, protected area management plans are directly and indirectly related to other policies (regional development, environmental, agricultural etc.). These plans operate in defined and managed geographic spaces, which are inserted in a complex socio-political network, and must consider the policies and territorial and sectoral programs and plans of the different government levels (national, regional and local), checking whether these plans affect the management of these areas in a positive or negative way and seeking ways to make them compatible with its objectives (Esteves, 2015). At the same time, land management plans must observe the presence of protected areas and consider their management plans (Phillips, 2002). The first half of this thesis is dedicated to analyzing whether plans and policies are integrated and if they consider the risks at protected areas. In the next stage, after defining support methodologies, this work proposes a model for risk analysis and risk mapping of forest fires for the Ipanema National Forest and the Alvão Natural Park, using as main base the management plans of these areas. Forest fires in protected areas interfere with the conservation of these territories and rises other threats, such as forest fragmentation and loss of biodiversity. The relationships between the threats to these two protected areas were identified and analyzed in an integrated manner to delimit a network of threats that act in the composition of the analyzed risks. Based on management plans, scientific publications, reports from workshops and interviews with managers and employees, it was possible to make a first approach on the origins of threats and the factors that influence them. After that, the location of internal and external threats and their degrees of influence were plotted in criticality maps, which could be crossed with the support capacity, hazard and value maps, to create forest fire risk maps and, based on them, forest fragmentation maps, revealing the priority sectors for protection and conservation interventions. The possibility of applying the risk assessment methodology proposed in this study to other protected areas in Brazil and Portugal characterizes this work as a support tool on the implementation of public policies related to the protected areas management. Keywords: risk; protected areas; risk assessment; public policy

Ano de Publicação: 2020

CONSERVACIÓN Y EXTRACTIVISMO EN LA COSTA DE CHIAPAS: EL CASO DEL MUNICIPIO DE ACACOYAGUA - Dissertação de Mestrado pela UNICACH

Resumen

Esta investigación tuvo como primer objetivo identificar las diferentes políticas de conservación de la biodiversidad y proyectos extractivos planeados e implementados en la Costa de Chiapas, incluidos en un contexto nacional y global de profundización de las políticas neoliberales. Además, a través del marco teórico desarrollado por Escobar (2010), se examina cómo, a partir de las diferencias económicas, ecológicas y culturales que dan sentido a su forma propia de vida frente al sistema-mundo moderno, las poblaciones campesinas de la Costa de Chiapas, en especial del municipio de Acacoyagua, se relacionan con los distintos regímenes culturales de apropiación de la naturaleza que coexisten en sus territorios y se los disputan. Para tratar estos amplios temas se partió de los referentes teóricos de la ecología política para desarrollar tres conceptos principales: la conservación neoliberal, el extractivismo y los territorios de la diferencia.



Ano de Publicação: 2020